Press "Enter" to skip to content

Uma sexta-feira na Domingos

 domingosGente do céu!… Vocês têm que conhecer a Escola Domingos da Costa Franco, especialmente a oitava série do matutino: Uma garotada “sangue bom”, gente boa mesmo. Estive lá na última sexta-feira, trocando algumas ideias com o pessoal a respeito de literatura, leitura, análise e produção de texto. Antes, porém, a professora Luciane Campolin já havia feito um trabalho especialmente com meus textos e de outros cronistas a nível estadual e nacional, o que muito alegrou-me, pois ser equiparado com escritores reconhecidos nacionalmente, no mínimo me remete a uma intertextualidade ao nível dos formadores de opinião, o que para um escritor do interior de Santa Catarina é um orgulho enorme.
 Mas, vamos parar com a auto “rasgação de seda” e vamos ao que interessa:
 Cada vez que visito uma escola pública, me convenço mais de que temos muitos gênios adormecidos nos bancos escolares, senti isso ao ver os olhos daquela piazada brilhando ao ouvir os meus relatos e dos demais colegas… Sinto isso cada vez que um aluno se aproxima com um rascunho dizendo que produziu um texto despretensiosamente e gostaria que fosse lido por mim… Já fiz isso no passado, quando era aluno da educação básica e, nem sempre, fui ouvido (ou lido) pelos mestres… Havia algo mais importante a ser feito por eles, como destacar nossos erros em vermelho, naqueles textos encomendados, que na maioria das vezes, não tinha nada a ver com nossa realidade, mas valia nota…
 Tenho certeza que “os exemplos arrastam”, portanto, não posso exigir que meu aluno produza bons textos se ele nunca lê uma produção minha… não posso querer que ele fique em silêncio durante minha brilhante explicação, se eu não o faço quando estou participando de algum curso de capacitação. Pensando nisso, neste ano resolvi levar meus textos periodicamente para a sala de aula. Ora, não imagina, o leitor, quão grande foi a minha surpresa quando notei que minhas palavras causavam emoção em alguns alunos, a exemplo do texto “As hortênsias”, que ao lê-lo, uma de minhas alunas não conseguiu concluir, pois foi tomada pelas lágrimas que teimaram em cair…
 Da mesma forma, senti-me emocionado, na Escola Domingos da Costa Franco, quando presenciei vinte três alunos conversando, debatendo e questionando meus textos, com a certeza e a clareza de quem leu e analisou anteriormente… Mérito deles, que tiveram a coragem e determinação de dedicar um tempo à leitura e análise… Mérito da professora, que disponibilizou a eles a chance de visitar meu blog e outros sites de literatura usando de uma visão crítica e de um coração aberto às novidades, fomentando assim a produção de texto entre eles… Mérito da direção da escola, por estar aberta a estes eventos, que por vezes não têm a cobertura da imprensa, já que não se trata de nenhuma desgraça social, acidente de trânsito, ou ato de politicagem… Mérito de todos nós, que lutamos como “Davi contra Golias” em busca de uma educação pública democrática, edificante e de qualidade.
 Obrigado, Dominguinhos, pela sexta-feira maravilhosa que passamos juntos!… Obrigado por acreditarem no meu trabalho!… Obrigado por acreditarem no trabalho de vocês!… Obrigado por acreditarem que o ser humano é capaz de realizar maravilhas quando o deixamos voar alto no mundo do conhecimento… Obrigado Dominguinhos!…

Márcio Roberto Goes
www.cacador.net
www.portalcacador.com.br
Jornal Informe – O diário Regional

9 Comments

  1. Ademir
    Ademir 29 de maio de 2009

    MARCIO

    Gostei muito do que o senhor escreveu sobre a nossa escola.Eu tambem adorei ler suas crônicas principalmente( as hortências e a escola dos meus sonhos) Volte outro dia aqui para nòs lermos outras crônicas e refletir sobre elas..

  2. Luana limas
    Luana limas 29 de maio de 2009

    Obrigado principalmente a voce por ter vindo a nossa escola.Gostei muito de suas cronicas elas nos fazem refletir sobre os acontecimentos do nosso dia-a-dia.
    A cronica sobre a nossa escola ficou muito interessante,eu gostei muito.Sua histórias fazem nós pararmos e pensar na vida.

  3. TAINARA NEU
    TAINARA NEU 29 de maio de 2009

    Querido Marcio Goes adorei todas as suas cronicas muito obrigado por conparecer em nossa escola. O senhor é muito querido e educado principalmente com nós,adoramos o senhor e boa sortE em todos as suas cronicas.Adoramos tudo principalmente o que veio do senhor tenha uma boa caminhada pela frente. TAINARA.

  4. Ana Maria Silva de Quadros
    Ana Maria Silva de Quadros 29 de maio de 2009

    Eu adorei a cronica uma sexta-feira na domingos, porque foram tres aulas maravilhosas e divertidas falando sobre Portugues.
    Meia maluquinha, mas muito legal e eu aprendi muito,
    Marcio eu adorei todas as suas cronicas.

  5. Bianca
    Bianca 29 de maio de 2009

    Eu achei que foi muito legal a manhã de sexta feira ,porque tivemos a oportunidade de conhecer um bom cronista como “vc” .E ficou muito legal a crônica e tenho certeza de que vamos nos encontrar novamente.

  6. ELEN CAMILA ALVES DOS SANTOS
    ELEN CAMILA ALVES DOS SANTOS 29 de maio de 2009

    SUAS CRONICAS SÃO UMA FORMA DE INSPIRAÇãO PARA MUITOS ALUNOS.E ISSO NOS DA MUITO ORGULHO DE CONHECER UMA PESSOA ESPECIAL QUE PARA NOS SERVE COMO UM ESPELHO. É IMPORTANTE CONHECERMOS TALENTOS ESPECIAIS COMO VOCE.OBRIGADA BJS

  7. CRISTINA XAVIER DE SOUZA
    CRISTINA XAVIER DE SOUZA 29 de maio de 2009

    Eu adorei a cronica que o senhor fez com o nome da escola Domingos e falando principalmente da oitava matutino.Muito obrigado por vir visitar a nossa escola e foi um prazer enorme em te conhecer.CRISTINA

  8. Cleiton
    Cleiton 29 de maio de 2009

    Muito obrigado por elogiar a nossa escola que tem pessoas que nem a conhecem.

  9. Luciane
    Luciane 26 de maio de 2009

    Marcio o texto ficou ótimo, vou levá-lo para a sala de aula para as turmas que não participaram do trabalho, como forma de motivá-los. Foi muito proveitosa a parceria e tenho certeza que os alunos gostaram. Vou levá-los na sala informatizada para comentarem a crônica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *