Press "Enter" to skip to content

Um ponto pelo Hino

 

 Todo ano, na semana da Pátria, desafio meus amados e diletos alunos a cantarem o Hino Nacional Brasileiro de cor, sem errar, nem gaguejar: aquele que consegue, recebe um ponto a mais na média bimestral…
 Parece mentira, mas em oito anos de magistério, só consegui contemplar um único aluno de ensino médio com este prêmio… É impressionante, como decoramos facilmente as canções “populares” em cinco velocidades diferentes, que na maioria das vezes têm um padrão de letra e vocabulário que não exigem o mínimo conhecimento de poesia nem de música. No entanto, parece infinitamente difícil decorar e sentir a letra do Hino Nacional Brasileiro composta por Joaquim Ozório Duque Estrada, externando uma impressionante e inigualável declaração de amor por esta terra, inclusive intertextualizando outra obra de um grande escritor chamado Gonçalves dias, neste trecho:
 (…) “Nossos bosques têm mais vida, nossa vida” no teu seio “mais amores” (…)
 Vamos combinar que nosso modesto país sofreu grandes mudanças após a composição do seu Hino oficial, tanto estruturais, como políticas e culturais, porém, a letra ainda é capaz de nos provocar reflexão e “arrepiar até as unhas”: uma canção passional que exprime tantas belezas e riquezas de uma terra que ainda é amada e cobiçada pelos estrangeiros… Só falta ser amada e cobiçada pelos nativos.
 – “Mas é muito difícil” – Me dizia um aluno. Sim! Nosso Hino Nacional pode ter um aspecto meio rebuscado, cheio de palavras que não fazem parte do nosso cotidiano e algumas frases fora da ordem direta, mas são justamente estes aspectos, que a meu ver, o tornam o poema em homenagem a um país, mais bonito do mundo.
 O “Joaquinzinho” teve um cuidado todo especial na métrica e na rima: detalhes merecidos de um país com dimensões continentais que fala e escreve a Língua mais linda do mundo: o bom e amada Português que agora tentam unificar com os outros países lusofônicos, através da reforma ortográfica que vigora a partir de 2009… Bem! Podem até fazer uma tentativa frustrada de unificação ortográfica, porém o Português do Brasil, Jamais deixará de ser o mais bonito e versátil do mundo… Não é uma reformazinha meia-boca que vai nos fazer enrolar a língua e falar igual aos outros lusofônicos.
 Vivemos num país lindo, com um hino maravilhoso, variações lingüísticas incomensuráveis e a maioria do povo não conhece a letra do Hino feito à “Pátria amada, mãe gentil”, que mais tarde se tornou Hino oficial do país…
 É uma lástima perceber que se reconhece perfeitamente o sentido morfológico da palavra “créu” e não se tem a mínima curiosidade em descobrir o sentido do substantivo “lábaro”, do verbo “ostentar”, dos adjetivos “garrida” e “colosso”, da própria flâmula verde-louro e de outras palavras que compõem o Hino e encontra-se facilmente em qualquer dicionário.
 Meu Brasil, quero amar-te, mas para amar-te é preciso conhecer-te… E para conhecer-te é preciso, entre outros aspectos, compreender teu poema oficial: o Hino Nacional.
Márcio Roberto Goes

 

2 Comments

  1. GIOBOL
    GIOBOL 8 de setembro de 2009

    TODO O MUNDO CANTA O HINO PELA METADE

    GIOBOL OSSESSE~~^~~/

  2. Mari
    Mari 8 de setembro de 2008

    Falo e disse prof…
    Mais não é só em cantar o Hino que há decepção, você já parou para observar que algumas escolas, inclusive a minha, oferecem um ponto em cada matéria para aqueles que se disponibilizarem a desfilar na avenida representando a escola!
    Nossa que lindo, as crianças e principalmente os jovens desfilando pela Pátria e de brinde ainda ganham um ponto no boletim, as escolas não tem nem noção do que estão fazendo. Não o exemplo de pessoa ou de aluna, mais tenho pelo menos noção de que isso não é certo. Ano passado eu desfilei e ganhei o dito ponto, sinceramente fiquei ” de boca aberta” com alguns alunos, estavam lá é claro, mas abaixavam a cabeça e diziam ” que mico”, que exemplo de cidadãos não é mesmo?
    Bem, vou ficando por aqui, desculpe os erros!
    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *