Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

Tag: militar

Testemunho militar

 

Fim de ano… Natal, ano novo… Sempre nos trazem lembranças… Às vezes, elas aparecem do nada, outras se valem de algum acontecimento que nos remete ao passado… Pena que a maioria dos seres humanos ainda não descobriu o lado bom da nostalgia. Claro que estar preso ao passado é um fato que nos amarra, impedindo de viver o presente, mas é preciso voltar até a pedra para amolar a ferramenta antes de continuar o trabalho…

Alguns dias antes do término das aulas, recebemos, como de costume, a visita de um policial militar. O diretor, como sempre, convidou-o para passar o recreio conosco, tomar um cafezinho… até aí, tudo normal…

Quase sempre me demoro para descer até a sala dos professores, sempre tem um ou outro aluno que para pra conversar comigo sobre a matéria ou coisas banais, queixar-se de alguma situação, chorar o amor perdido, ou simplesmente partilhar um abraço… Neste dia, ao chegar à sala dos professores para meu costumeiro cafezinho com bolacha pedagógica, recheado com conversa fiada e brincadeiras típicas de uma equipe cujo relacionamento vai além do profissional, encontro no meio de meus colegas, uma farda… E dentro dela, um rosto conhecido não sabia de onde… Cumprimentei-o e ele, segurando minha mão direita, chamou a atenção dos demais professores para dizer o seguinte:

– Pessoal!… Se hoje eu estou na polícia militar, é por causa deste cara aqui… Foi graças a ele que eu passei no concurso…

– Como assim?… Perguntei com uma mistura de sentimentos que percorriam desde o orgulho até a curiosidade…

– Lembra que você insistia tanto na produção de texto?…

Não conseguia responder outra coisa que não fosse: Aham!…

– Pois foi justamente a produção de texto que me deu a aprovação do concurso… Lembrei-me, sobretudo da dissertação, dos passos, dos argumentos, da impessoalidade e tudo aquilo que aprendi com você… Lembra daquele poema que você me ajudou a fazer em homenagem aos quinze anos de minha namorada?…

Para falar a verdade, eu não lembrava, mas para não passar vergonha, confirmei com um sinal cabeça e perguntei…

– E aí… casaram?

– Sim! Casamos e temos dois filhos lindos…

– Que bom! O que é que um poema não faz, não é mesmo?…

Ser professor é muito mais que ser um profissional. É preciso viver as relações humanas de corpo, alma e coração. E quando nos deixamos envolver pelos alunos, transformamos a vida deles e a nossa. Lembrar-me-ei de mais este fato, cada vez que o desânimo insistir em assolar a minha alma de educador… Cada vez que minha boca quiser se abrir para duvidar da capacidade de transformação e de crescimento pessoal dos meus alunos. Por mais que tudo pareça perdido, sempre tem um testemunho que nos dá o combustível necessário para continuarmos… São fatos como este que me fazem concluir a cada dia que fiz a escolha certa para minha vida, apesar da demora de vinte e seis anos para começar a seguir carreira na educação…

Márcio Roberto Goes

www.cacador.net

www.portalcacador.com.br

Jornal Informe – O diário Regional

Deixe um comentário