Press "Enter" to skip to content

Tag: Esperança

Páscoa Utópica

(Márcio Goes)

 A palavra “Páscoa” significa passagem: A festa da Páscoa era celebrada, inicialmente pelo povo de Deus em comemoração à sua liberdade conquistada com muito esforço e encabeçada pelos profetas, especialmente Moisés que foi o grande protagonista da travessia do Mar Vermelho. E Jesus Cristo, escolheu, justamente a Páscoa para realizar o maior milagre da presença de Deus na Terra: A ressurreição depois de três dias de sua morte brutal e desumana, culminando a História da Salvação, conhecida por todo cristão que se prese.
 Mas a luta não parou por aí. Os cristãos, por muitos anos foram perseguidos e massacrados em nome de sua doutrina, por outro lado,  a Igreja também perseguiu outras manifestações religiosas e ideológicas na época das cruzadas e da inquisição, quando muitas pessoas foram torturadas, humilhadas e mortas em nome de Jesus: Uma brutalidade que só o Papa João Paulo II, depois de quase dois milênios teve coragem de pedir perdão publicamente.
 Muitos anos se passaram desde que o fundador do cristianismo esteve na Terra e até hoje celebramos sua passagem da morte para a vida na Festa da Páscoa, que julgo ser motivo de alegria maior que o Natal, pois nascer é próprio de qualquer mortal… o milagre grandioso é reviver depois de três dias morto e sepultado.
 Mais de dois mil anos se passaram e os cristãos continuam lutando por justiça, haja visto os vários movimentos da Igreja, nas diversas pastorais e especialmente na Teologia da Libertação, condenada por tantos e amada por outros tantos, mas que faz a sua parte na realização de uma utopia onde as diferenças sociais e religiosas sejam extintas (falo da Igreja Católica Apostólica Romana por conhecê-la melhor, porém sei que existem muitos outros movimentos libertadores em outras denominações religiosas que trabalham pela realização do projeto de Jesus Cristo).
 Apesar de quase dois milênios nos separarem do início do cristianismo, ainda há muito o que fazer para que a humanidade conheça o verdadeiro sentido da Páscoa. É neste aspecto que entra a contribuição indispensável da juventude, que carrega consigo a incrível capacidade de sonhar e lutar por seus ideais, que têm uma contribuição do próprio Jesus quando se trata de vida nova… O sonho que o apóstolo Paulo escreve aos Filipenses, de ver o “cordeiro e o lobo pastando juntos” não pode morrer. Um novo mundo é possível e está nas mãos dos meus amados e queridos jovens, que também são amados e queridos por Jesus (principalmente).
 Porém, hoje não vemos mais a garra juvenil com tanto afinco como antigamente: parece que o tempo, os avanços tecnológicos e os fatos esfriaram a juventude que não pinta mais a cara em protesto, não sai mais às ruas em busca de melhorias na educação, não se organiza mais pelo mesmo ideal, não sonha mais com um mundo mais justo e igualitário… O que aconteceu com os grêmios e movimentos estudantis que nas décadas de oitenta e noventa, em alguns casos tinha que se reunir na calçada, pois a escola não podia ser aberta para eles?… Será que já sepultaram aqueles movimentos católicos e estudantis dos quais participei na minha época de estudante de ensino fundamental e médio?
 Não podemos nos render à tirania do capitalismo, cuja maior alegria é ver o povo acomodado e conformado. Portanto, minha utopia é ver essa Páscoa transformando o coração, especialmente dos jovens, dando-lhes uma nova injeção de ânimo para lutar pelos seus ideais, buscando sonhos e lutas novas por utopias antigas, mas que não deixam de ser sonhos realizáveis quando se luta junto.

 

www.cacador.net
www.portalcacador.com.br
Jornal Informe, Caçador – SC

Leave a Comment

Dias vermelhos

Vermelho: uma cor marcante, primária, cor do sangue, da luta… Para os católicos, mártir e Espírito Santo… para os comunistas, uma bandeira… para os colorados, uma paixão que além do amor pelo Inter, revela uma adversidade com o Grêmio… No semáforo, é sinal de parada, no carro da polícia ou dos bombeiros, a luz rubra vem acompanhada de uma sirene que alerta a população sobre alguma emergência, ou perseguição, além de pedir passagem aos demais motoristas… Quando uma pessoa passa vergonha fica vermelha… Queira ou não queira, o vermelho não é apenas uma cor, mas uma identidade. Representa muito mais que a sensação provoca pela luz nos nossos olhos, é um modo de vida, uma ideologia positiva para alguns, negativa para outros.
 Quando a mulher está completando seu ciclo menstrual, diz-se que ela está “naqueles dias”, ou nos “dias vermelhos”… Neste caso, o rubro indica que não aconteceu o milagre da vida, ou seja, o óvulo não foi fecundado, por isso o organismo reage “vermelhamente”, como protesto contra a infecundidade… Ainda bem que procede assim, já pensou se todo óvulo fosse fecundado? Não haveria espaço para tanta gente neste pequeno planeta já castigado pelo aquecimento global, apesar de ser inocente…
 Tive meu primeiro sobrinho, no auge dos meus nove anos, até os quatorze, vivemos praticamente todo o tempo juntos, atrasei minha infância para vivê-la com ele… Participávamos das mesmas brincadeiras, passeávamos juntos, fazíamos as refeições juntos… Porém, quando comecei a trabalhar em uma empresa madeireira, passava o dia todo fora de casa, só nos encontrávamos na hora do almoço e no fim da tarde por alguns minutos para assistir ao Jaspion na extinta rede Manchete, pois as minhas noites eram dedicadas aos bancos escolares (e continuam sendo até hoje). Logo que ele começou a ser alfabetizado, iniciou o reconhecimento dos números e das cores, já contava no calendário os dias para passarmos mais tempo juntos. Ele sabia que estávamos livres nos dias vermelhos, cor que representa os domingos e feriados na maioria dos calendários… Quando chegava a véspera de um feriado, ele me dava logo a notícia: “Tio, amanhã é dia vermelho, você vai ficar em casa, né?”…
 Ás vezes, sonhamos com dias melhores: azuis, verde-esperança, branco-paz, ou reclamamos dos acontecimentos negros, que nada dá certo, que isso, que aquilo… Porém, frequentemente nos esquecemos de valorizar as pequenas coisas de nossas vidas. Um simples dia vermelho no calendário que para aquela criança entre seus cinco e seis anos, significava momentos felizes, pois estaria mais tempo perto de seu tio querido… Mal sabia ele que aqueles dias vermelhos também me faziam muito feliz, e que lá no fundo de meu coração eu também esperava ansiosamente pela chegada dos domingos e feriados rubros. Nesta minha vida colorida, poucos momentos foram tão despretensiosamente marcantes, quanto aqueles dias vermelhos…

 

Márcio Roberto Goes
www.cacador.net
www.portalcacador.com.br
Jornal Informe, Caçador – SC

1 Comment

“A paz é fruto da justiça”

 

cartaz_cf_2009

 

 

Certamente, você como a maioria das pessoas anseia pela paz e a segurança. As pessoas em toda parte estão cansadas do crime, da violência, da guerra e da ameaça do pesadelo nuclear… Também, muitos não têm emprego adequado, moradia apropriada, ou alimento suficiente para suprir suas necessidades. Que alegria seria se estes problemas pudessem ser resolvidos e esta Terra se tornasse um lar agradável e seguro para seus habitantes.

 

Todos desejam “paz e segurança”, e como dizem: “a paz é fruto da justiça”Mas quem realizará isso?… Será que as nações do mundo deixarão de lado todas as suas divergências a fim de conseguirem a tão almejada paz?… De fato, quando as Nações Unidas declararam 1986 o “ano internacional da paz”, pediram que em toda parte se fizesse um esforço especial daquele ano em diante para estimular os atos de paz e segurança… Mas seria esta uma verdadeira “paz e segurança”?… Alcançaria sua vizinhança e seu lar e tratarias dos problemas que o afetam pessoalmente?… Resolveria os problemas da crescente criminalidade e das drogas, encarecimento de alimentos, impostos cobrados injustamente, poluição alastrante e a constante degeneração dos laços familiares?… Enquanto perdurar qualquer uma destas situações, a paz e a segurança pessoais continuarão sendo ameaçadas.

 

Mas para que a esperança tenha algum significado, ela deve fundar-se na realidade, na verdade. Falsas esperanças, apenas cegam as pessoas diante da realidade. Portanto, é sensato perguntar: Damo-nos conta de exatamente quão grandes são os problemas que devem ser resolvidos para estabelecer a genuína paz e segurança?… Apercebemo-nos de quão urgente a situação se tornou?… Há qualquer evidência de que as soluções humanas estejam a altura da imensidão da tarefa?… Por milhares de anos, os homens têm buscado a paz e a segurança, sem êxito.

 

Esta busca por paz e segurança pode tornar-se não apenas uma esperança vazia, mas uma belíssima realidade… Como isso é possível?… A segurança pode começar pela eliminação dos crimes, da violência e também, pelos homens, ou melhor, pelos governos juntamente com a população, tentar eliminar a fome e a poluição. Talvez, com esses gestos de solidariedade, mude a cara do nosso mundo, a busca pela paz seja constante e a frase “A paz é fruto da justiça” se torne realidade.

 talentos-3

Juliana Fogaça

2ºano 01 matutino

Ensino médio

EEEB Wanda Krieger Gomes

Caçador SC

8 Comments

Esperança

Esta foi por encomenda. Uma aluna me fez o pedido para escrever uma crônica sobre esperança, espero que ainda não tenha perdido a dela, pois já faz tanto tempo!

É uma palavra muito eclética para ser resumida em poucas linhas. A cada dicionário que consulto surge uma definição diferente… Penso que a esperança é para sentir e não para definir, porém utopicamente carrego a esperança de um dia defini-la.

Desde que “me conheço por gente”, vejo as pessoas ao meu redor alimentando a esperança de ver um país e um mundo melhor e mais justo, sem guerras, intrigas ou desigualdades sociais, porém, os protagonistas deste sentimento, são os pequenos, que não podem ter nada, além da esperança de que aqueles nada esperançosos, que um dia receberam seu voto e foram eleitos engordando utopias do povo e seus próprios bolsos, façam algo por estes pequenos que sonham em um dia ser grandes aos olhos das autoridades, e não só em ano de eleição.

Os anos passam, as autoridades mudam, o mundo muda, o país muda… Só não muda a esperança, porque os digníssimos e os excelentíssimos continuam com os mesmos objetivos, onde o povo não cabe, afinal, ainda existem outras prioridades mais prioritárias na visão deles (perdoe-me a redundância).

“A esperança é a última que morre” e por isso é a que mais sofre, vendo o sepultamento dos objetivos e sonhos mais justos e sublimes dos seres humanos, que por mais felizes que sejam, sempre regam uma nova utopia, um novo objetivo, um novo sonho…

Um espera emprego, outro não está contente com seu trabalho e gostaria de ganhar mais e trabalhar menos, como fulano ou bertano… Outro, igual a milhares, espera um grande amor, outro ainda, prefere vários amores, e há aquele que se contenta em viver sem amor… Quem já tem uma paixão, espera nunca perdê-la… Quem perdeu, espera recuperar o velho amor ou viver um novo, afinal, não se vive sem amor, seja qual for sua concepção ou razão.

São várias as esperanças criadas e alimentadas pelo ser humano. Mesmo o desesperado, tem a pseudo-esperança de morrer e findar seu sofrimento, porém o suicídio não acontece, porque ainda existe um sonho esperançoso.

No mundo atual, em que ao sairmos de casa, temos apenas trinta por cento de chance de voltarmos ilesos, física, mental ou ideologicamente (estou sendo otimista), estar vivo e não deixar que nenhum desesperado mate nossas esperanças já é uma vitória merecida para aquele espermatozóide microscópico, cuja esperança maior foi chegar por primeiro ao óvulo e fecundá-lo, celebrando assim, o milagre da vida.

2 Comments