Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

Sujeira eleitoral

 

Nasci no regime militar. Sou do tempo em que o SBT passava a semana do presidente no programa Silvio Santos, idolatrando o Figueiredo, cresci vendo a redemocratização do país até que em 1989 presencio a primeira eleição direta para presidente depois de vinte e quatro anos de ditadura cruel… Apesar de ainda não votar, acompanhava atentamente a política e já tinha um posicionamento definido que me acompanha até hoje. Optei pelo socialismo, por acreditar que é a única forma de se erradicar as injustiças sociais em nosso país. Claro que não precisamos mais partir para a luta armada, hoje é livre a manifestação política e ideológica em nossa nação, porém ainda há muito o que mudar e isso só ocorrerá quando os grandes deixarem os pequenos crescerem… Mas quem tem o osso não larga e não reparte, aí fica difícil realizar uma política realmente popular, onde se escute também a voz dos pequeninos que são responsáveis pela evolução e crescimento do nosso país…

Na verdade, temos liberdade de falar… Só isso!… O que não garante que somos ouvidos… Mas a democracia é o povo no poder!… Teoricamente sim, na prática, porém, é diferente… Continuamos elegendo a corrupção descarada, trocando votos por favores, vendendo nossa dignidade, fechando os olhos para os abusos eleitorais dos poderosos que só têm poder quando dado por nós… Não percebemos os gastos exorbitantes que certos candidatos têm com a campanha, que não chegam nem perto daquilo que vão ganhar durante o mandato… Ou seja, alguém muito rico e poderoso paga para fazer a fama deste vivente que, quando eleito deverá retribuir defendendo os interesses daqueles que injetaram dinheiro na sua campanha e o povo fica com as esmolas…

Infelizmente, muitas práticas ilegais e anti-éticas, parecem normais aos olhos da maioria que as deixam passar, muitas vezes desapercebidas… Tive um posicionamento claro durante o pleito, não tenho nenhum motivo para esconder aquilo que penso e as ideias que defendo, tenho consciência dos meus atos e os meus votos foram muito bem estudados e decididos conscientemente…

Porém, no dia três de outubro, quando saio de minha residência oficial de primavera, me deparo com uma situação desoladora para qualquer cidadão de bem… As ruas forradas de papéis, restos de campanha, santinhos e colinhas sujando, enfeiando e poluindo nossa cidade… Todos, eu disse TODOS os partidos e coligações tinham material jogado nas ruas no dia da votação… Todas as siglas, teoricamente defendem a ética, algumas defendem o cuidado com o meio ambiente, outras lutam pelas causas populares, mas nenhuma delas furtou-se desta prática ilegal e imoral da madrugada das eleições… Uma vergonha para um país que se diz democrático…

Alguém me dizia que isso ajuda os indecisos que, ao passar na rua catam uma colinha daquelas e decidem seu voto… Me parece uma maneira vergonhosa de lavagem cerebral, sem análise, de forma infantil e relapsa. Além do mais, perto de todas as urnas existe uma lista com o nome e o número de todos os candidatos, o que não justifica a porquice da véspera que não tem ética nem consciência ecológica…

Outra pessoa me dizia que “todo mundo faz”, que “é normal”, que “tarari, tarará”… Agora me desiludi de vez… Enquanto nivelarmos a política por baixo, sempre será esta baixaria… O fato das colinhas é só um detalhe, mas um detalhe ilegal, imoral e anti-ético… E bem sabemos que: “Quem é fiel no pouco, será fiel no muito”… Tenho cãibra no cérebro quando penso em quais práticas ilegais acompanharão um candidato desses, se eleito… Hoje, ele e seus assessores sujam, poluem e recheiam as ruas da cidade, amanhã… Bem! Amanhã as cuecas e meias é que estarão recheadas…

Márcio Roberto Goes

www.cacador.net

www.portalcacador.com.br

Jornal Informe – O diário Regional

jornalinformediario.blogspot.com

Um Comentário

  1. Suelen Alves
    Suelen Alves 13 de outubro de 2010

    Gostei, você falou algo que muita gente não tem coragem de dizer abertamente, apontou muitas práticas que envergonham todas as pessoas que querem mudar a visão politíca de hoje, mas que ficam sem seber o que dizer quando um cidadão vem e declara: -É, vocês vivem dizendo que são certinhos, mas eu vi um monte de colinha de vcs lá onde eu votei! E aí não temos resposta, não tem nem como tentar se defender explicando que nem todo mundo pratica esse tipo de coisa. Quando isso vai mudar….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *