Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

Qual é o meu talento?

Participando, no fim do ano passado, do trabalho de algumas acadêmicas do curso de Artes Visuais, sob o título “Qual é seu talento?”, comecei raciocinar e analisar esta pessoa que vos escreve referente a talentos desenvolvidos durante toda uma vida…

Quando era criança, eu me encantava com o trabalho de um carpinteiro, que por coincidência era meu pai. Ele me deu algumas noções de seu ofício. Hoje, me viro bem com os reparos domésticos, mas meu velho pai morreu no dia da árvore, em 2006. Será que herdei o talento dele?… Acho que não, pois o que sei de carpintaria serve apenas para consumo próprio…

Já trabalhei no comércio e, com certeza, este não faz parte do conjunto de meus talentos, pois em três meses de experiência, descobri o quanto os trabalhadores desta área sofrem, principalmente em época de fim de ano, sendo obrigados a trabalhar até sabe Deus que horas da noite e no outro dia recomeçar a rotina como se nada tivesse acontecido…

Em determinado momento de minha vida fui um projeto muito meia boca de enfermeiro. Não deu certo. O motivo? Conversava demais com os pacientes e atrasava todo o trabalho, horário de medicações, etc. É, mais uma alternativa frustrada de encontrar meu talento…

Já fui locutor de rádio, lá nos idos dos anos 90, tinha uma certa audiência e até hoje tenho amigos que conheci naquela época, mas durou pouco, cerca de três anos. Hoje ouço minhas gravações daquele tempo e concluo que eu era muito ruim. Pois bem, já percebi que este também não é meu talento…

“Tá” certo, vamos tentar encontrar alguma coisa na área acadêmica… Quando comecei o ensino médio, optei pela contabilidade. Reprovei, é lógico! Nunca me dei bem com os números, mas naquela mesma escola, o Paulo Scheffler, havia um curso que me chamava especial atenção: o Magistério… E foi lá que encontrei o caminho para nunca mais sair da escola pública, onde estou até hoje. Depois de uma faculdade de Letras e uma especialização em análise e produção de texto, vejo que meu destino é no melhor lugar do mundo para se conhecer pessoas: a sala de aula… Será que meu talento é ser professor? Também não sei e acho que vou levar esta dúvida para o cemitério…

Parece fácil identificarmos os talentos de outrem, principalmente para um professor, mas quando se trata de nós mesmos, a coisa muda de figura. Sabemos o quanto nosso aluno sabe calcular, identificar os pontos cardeais e colaterais, escrever bons textos, desenvolver as artes… Mas não sabemos daquilo de que somos capazes… E, normalmente, podemos mais do que acreditamos… Somos maiores do que pensamos…

Bem… Na faculdade comecei acreditar que eu poderia ser escritor, mais precisamente cronista. Já que algumas pessoas dizem que crônica é tudo aquilo que o escritor chama de crônica, então resolvi batizar assim meus escritos… Desde então, escrever tornou-se minha paixão e segunda profissão, apesar de nunca ter ganho dinheiro escrevendo…

Mas, qual é meu talento, afinal?… Não sei… Elenquei alguns aí em cima, acho que os tenho todos, ou não tenho nenhum… Sei lá… Como diria Sócrates: “Só sei que nada sei”…

Márcio Roberto Goes

www.cacador.net

www.portalcacador.com.br

Um Comentário

  1. Ariomar
    Ariomar 1 de fevereiro de 2011

    gosto da forma que vc escreve…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *