Press "Enter" to skip to content

Os terceirões da minha vida – Parte III – Meu querido Wandão

Nãop oderia terminar esta sequência sem escrever sobre a escola que me
abraçou como efetivo há cinco anos, além de trabalhar lá como ACT
(admitido em caráter temporário), desde 2002, antes mesmo te ter
uma sede própria e se transformar no Abacatão mais querido do
Martello…

Lá, na escola Wanda Krieger Gomes, tenho vivido grandes experiências que só
fazem crescer cada vez mais meu amor pela educação pública que tem
muito mais calor humano, existe luta coletiva por melhores condições,
o que torna a equipe unida, seja ela composta de alunos, professores,
ou ambos. Encontram-se lá,  pessoas que respeitam o professor,
inicialmente como ser humano e, principalmente como amigo… Amigos
se amam, com um amor tão fraterno que chega a ser partilha de
vida… Vidas que, apesar das diferenças, se unem em favor de uma
educação de qualidade que favoreça realmente o povão e os
profissionais envolvidos, ao invés de engordar o bolso daqueles que
foram eleitos para trabalhar em favor da população e não o
fazem…

Foi no Wandão que encontrei uma turma de segundo ano de ensino médio capaz
de produzir um torneio, angariar fundos, alugar uma sede campestre,
envolver famílias, professores, direção e os próprios alunos,
organizar um almoço com o dinheiro arrecadado no torneio, comprar
salgadinhos e bolo… Tudo isso só para homenagear um professor
aniversariante, tentando reanimá-lo a fim de continuar sua missão
mais sublime que é simplesmente ser professor… Conseguiram! Este
que vos escreve teve uma injeção de ânimo ao ser homenageado de
surpresa num evento que parecia ser uma comemoração de final de ano
letivo… Mas tinha algo mais: o amor pela educação pública também
presente em meu coração passional…

Nesta escola querida, já tive vários terceirões. Fiz amizades que até
hoje permanecem vivas e atuantes, encontro ex-alunos e não me furto
o direito de “jogar uma conversa fora”. Isso me faz revigorar as
forças e a esperança de dias melhores para nossa educação
pública. Ver meus alunos crescendo e atuando na sociedade é
suficiente para alimentar a alegria de ser professor…

Este ano, tenho orgulho de trabalhar com três turmas de formandos em
ensino médio, uma matutina e duas noturnas… Minhas manhãs são
abrilhantadas por uma galerinha pró-ativa que quebra a inércia da
escola: Tem as meninas do fundão, sempre solícitas, a piazada que
gosta de fazer tudo, principalmente quando não tem relação com a
matéria. À frente, minhas porcelanas, entre elas, a futura juíza
que fez bonito no júri simulado… Enfim, uma turma que jamais
poderia passar desapercebida mesmo aos olhos e corações mais
distraídos…

Minhas noites são melhores graças ao convívio com os alunos, sobretudo
dos terceiros anos que nos empurram para a juventude novamente sem
pedir licença… Lá  tem um povo que gosta de lutar pelos seus
direitos, o que nos torna cúmplices nas lutas estudantis, pois onde
estiver nosso aluno, lá estará um pouco de nós também. Numa das
turmas, encontra-se a maior concentração de meninas por metro
quadrado da escola: um representante do sexo masculino e mais de
vinte do sexo feminino, fato que transforma a sala na mais dinâmica,
característica marcante nas mulheres…

Enfim, trabalhar no Wandão chega a ser uma filosofia de vida, a cada dia
aprendo coisas novas no melhor lugar para se conhecer pessoas: A sala
de aula… E quando se trata de terceiro ano de ensino médio, o
aprendizado é ainda maior, pois lá estão aqueles que têm maior
bagagem de conhecimento e experiência entre os alunos da educação
básica, o que nos torna seres humanos ainda mais iguais, podendo nos
relacionar de forma igualitária e verdadeira sem receio de que as
diferenças de idade e conhecimento nos tornem estranhos… Sou grato
aos terceirões do Wandão por me fazerem uma pessoa melhor a cada
ano…

Márcio Roberto Goes

One Comment

  1. VANESSA
    VANESSA 14 de dezembro de 2011

    oi márcio!!!muito lindo ler isso.
    Eu estudei na Wanda em 2004 e 2005,1° e 2° ano,quando a Wanda ainda era uma extensão da Morada do Sol,não sei se lembra de mim,mais me lembro muito de você nos comandando,nos aconselhando,e como foram bons os conselhos,desde que fui embora de caçador não vejo mais os amigos,melhor as amigas,porque realmente sempre fomos a maioria e provavelmente quem mais movimentava o colégio,tenho muita saudade de tudo,e te agradeço pela amizade durante esse periodo em que estudei na wanda!!!bjus e tudo de muitoooo bom para você marcio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *