Press "Enter" to skip to content

Os dois lados da moeda

Se tem uma coisa que gosto de fazer, além de escrever, é visitar as escolas, estar “de cara” com a situação, ver a realidade dos educandários a meu redor… Na última quinzena, fiz duas visitas inesquecíveis, em ambas fui muito bem recebido e percebi que meus textos estão ajudando aos alunos e acadêmicos a adquirir, ou desenvolver o gosto pela leitura, análise e produção de textos…. A primeira delas, ao curso de pedagogia da UnC, a convite da Rúbia, uma acadêmica de primeira fase, para complementar o trabalho de seu grupo sobre comunicação. Durante cerca de meia hora, conversamos sobre os elementos da comunicação e como esta se dá entre os seres vivos, sobretudo os humanos, únicos capazes de criar linguagens abstratas, entre elas, a escrita, pela qual tenho imensa paixão. Rejubilei-me ao ver um grupo de futuros alfabetizadores, interessados em discutir e analisar os aspectos sociais e linguísticos da comunicação escrita. Foi um prazer voltar à instituição onde cursei licenciatura em Letras e trocar ideias com meus colegas que hora abraçam a mesma profissão que escolhi e que na verdade torna-se um estilo de vida, além de tudo, voltei para casa de gravata nova…

Pedagogia

Para completar minha alegria, fui convidado a fazer uma visita a uma das escolas que ainda mora no meu coração: O Irmão Leo. Fiz uma bonita troca de experiências com duas turmas de segundo ano de ensino médio que trabalharam sob orientação das estagiárias Andrieli e Ivânia, com alguns textos meus… Conversamos sobre a importância de ler e escrever e de como a leitura e a escrita podem transformar a vida de muitas pessoas. Alegrei-me e mais uma vez, senti-me realizado ao ver os olhos e ouvidos daqueles jovens atentos às minhas palavras que resultaram em troca de ideias, haja vista os depoimentos que ouvi durante nosso encontro.

IrmaoLeo

Como sempre, é um prazer visitar e interagir com pessoas envolvidas com a educação, seja de que lado for: dos professores, dos futuros professores, ou dos alunos, afinal os dois lados de uma moeda completam seu valor… Sabemos que não existe método perfeito. Nenhum deles vai suprir de imediato as falhas de nossa educação, seja ela pública ou privada. É preciso uma mudança de conceitos, práticas e condutas em massa, num trabalho a longo prazo, porém, quando se abrem as portas da escola para a comunidade, ou visitantes, abrem-se também as portas do conhecimento para todos os envolvidos.

Creio que desta forma, tenho conseguido realizar meu propósito de escrever para o povo e fazê-lo refletir… Quando chegar o dia, (espero que nunca) em que meus escritos não servirem para as pessoas, principalmente os estudantes, lerem, analisarem e produzirem novos textos, eu aposento o teclado e paro de escrever. Pois a partir do momento em que um texto de minha autoria é publicado, deixa de ser meu e passa a ser de quem o lê…

Agradeço de coração aos meus amigos de pedagogia da UnC, de ensino médio da Escola de Educação Básica Irmão Leo e estagiárias de Letras, pela iniciativa de trocarmos ideias e experiências de vida para nosso crescimento pessoal.

Márcio Roberto Goes

www.cacador.net

www.portalcacador.com.br

Jornal Informe – O diário Regional

One Comment

  1. Flávio Henrique
    Flávio Henrique 20 de julho de 2009

    Parabéns pelo blogue, sempre que puder estarei conferindo seus posts.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *