Press "Enter" to skip to content

O ratão que virou leão

 Era uma vez, um queijo… Um enorme queijo que era compartilhado com quase oitenta mil ratinhos, destes, quase quarenta mil tinham o direito de escolher seus líderes, pois eram mais maduros que os demais, carregados de experiências e sabedoria… Afinal o queijo era muito importante para eles, significava a própria vida, e de fato o era, pois era aquele queijo que os sustentava, portando todos amavam e cuidavam a seu modo do queijo gigante.
 A cada quatro anos os ratinhos tinham a oportunidade de escolher, através do voto, seus líderes… Então se organizavam os candidatos, que pediam apoio a outros ratos para unir forças a fim de derrubar os adversários.
 E eis que houve uma disputa entre três ratões: O ratão bicudo que já tinha o poder do queijo há quatro anos, o ratão do pé “vermeio”, e o ratão da estrelinha… Todos os três organizaram-se de acordo com seus princípios buscando forças para poder administrar o queijo gigante e também ter a oportunidade de morder uma fatia um pouco maior…
 O grupo do ratão bicudo reuniu outros seis grupos de ratos que trabalharam para ele em três frentes de batalha, deveriam lambê-lo e limpá-lo para que parecesse límpido aos olhos dos demais ratinhos… A família do ratão do pé “vermeio” conseguiu o apoio de mais três grupos de ratos, lutaram todos unidos e ajudaram a construir as metas para melhor repartir o queijo… A equipe do ratão estrelinha não conseguiu apoio e resolveu lutar sozinha mesmo, apesar de alguns ratinhos lutarem por sua conta e apoiarem os outros dois ratões às escondidas…
 Foi dada a largada e todos os ratos começaram a batalha, tentando convencer a rataiada de que tinham as melhores propostas para a partilha do queijo gigante… O ratão bicudo se gabava das melhorias momentâneas feitas por ele no queijo, como medidas emergenciais para conseguir mais votos… O ratão do pé “vermeio” mostrava tudo o que tinha feito pela rataiada, apesar de não ter nascido naquele porão… O ratão da estrelinha ficava no meio do fogo cruzado, por vezes atacava, timidamente, um e outro.
 Nos últimos dias antes da votação, os três ratões organizaram as melhores estratégias para ganhar o pleito, porém o ratão bicudo teve a melhor (ou pior) idéia: Adiantou-se e repartiu algumas migalhas do queijo com os ratinhos mais magros conquistando a confiança deles… Resultado: foi escolhido pela maioria da rataiada para administrar o queijo por mais quatro anos. Então os seis ratões que apoiaram o ratão bicudo transformaram-no num leão invencível, o que os reduziu à calda, mas isso não tinha a menor importância, eles estavam todos no poder, poderiam fazer o que quisessem com o queijo, mesmo sendo calda de leão. Porém, leões não comem queijo, nem necessitam dele, só precisam disponibilizar algumas migalhas aos ratinhos para engordá-los e depois devorá-los…
Mas agora, o ratão bicudo que virou leão tem um grande problema: Como repartir a maior fatia do queijo com sete ratões famintos que lutaram em três frentes de batalha e agora fazem parte de sua calda?
Como diz meu amigo Zé: É melhor ser cabeça de rato do que calda de leão.

 

Márcio Roberto Goes

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *