Press "Enter" to skip to content

Novas idéias… Ideias novas?

 Pois é!… 2009 chegou… Muita coisa boa ficou em 2008, muita coisa boa nos espera em 2009… Muita coisa ruim ficou em 2008, mas a esperança nos faz acreditar que este ano será melhor. Sabemos que a substituição de um dígito no calendário, não significa uma mudança brusca em nossas vidas, mas sempre existe a fé que nos faz crer em dias melhores.
 Porém, tudo continua pacato e monótono na capital da indústria… Capital da indústria?.. Bem, só se for do monopólio de interesses de meia dúzia de fábricas, que insistem em mandar no município, vez por outra, deixam penetrar outra empresa de fora para desencargo de consciência, com a desculpa de novos empregos, mas a “penetra”, entre outras exigências, não pode ser concorrente dos gigantes já existentes, nem deixar os pequenos ao seu redor crescerem, para não prejudicar o bom “engordamento” do bolso daqueles colarinho-brancos que insistem em enriquecer às custas dos trabalhadores que fazem o milagre da produção, como recompensa, recebe um caminho de postes gigantes para iluminar a sua glória.
 O chefe do executivo, continua o mesmo, o sub-chefe também, grande parte do legislativo também… E os cabides?… Metade muda: “Mudam sete dos quinze cargos de primeiro escalão”, segundo manchete do Informe do dia 30/12/2008… E os cabides menores?… E aqueles que não têm cabides?… E os “oreia seca”?… A sorte destes depende da bandeira que levantaram (ou venderam) nas últimas eleições.
 E por falar em eleições, minha escola (desculpem o exagero do pronome possessivo) terá um novo auxiliar de direção… Até aí nenhum fato mirabolante. O interessante é que este cargo foi escolhido pela equipe de professores e demais funcionários, que através do voto direto e secreto o escolheram e levaram seu nome para as autoridades competentes que o nomearão… Assim espero, pois a vontade popular deve prevalecer sobre interesses politiqueiros!… Bem, não é a primeira vez que o Wandão surpreende: Quase no final do ano letivo passado, alunos e alguns professores fizeram uma manifestação pedindo segurança, sendo atendidos prontamente…
 Mas a grande mudança deste ano fica por conta da boa e velha Língua Portuguesa, que vai passar por uma cirurgia para extrair alguns sinais e acentos indesejáveis (Indesejáveis para quem?) e enxertar outros: A começar pelo alfabeto que passa a ter vinte e seis letras. Vamos dar as boas vindas ao K,Y e o W… Ué?… Meu teclado sempre teve estas letras e nunca as tratou como estranhas!… Muito bem, a reforma ortográfica servirá para melhorar nossa auto-estima… (Ou será autoestima?), visto que o Brasil está muito distante do resto do mundo lusofônico… Oh! Vamos unificar a Língua!… Seria possível, não fosse o fato de que a reforma é somente ortográfica, e não vocabular. A ortografia brasileira da Língua Portuguesa é a mais variável, mais criativa e mais democrática do planeta… Porque matá-la com um acordo inútil?… Quem foi que teve esta idéia?.. Puts! Esqueci… Tenho que acostumar com a idéia de escrever “ideia” sem acento…
 Creio que a reforma ortográfica é assunto para um novo texto, visto que meu espaço é limitado, mas gostaria de escrever mais um pouquinho sobre isso… Aliás, uma má notícia: Façamos um minuto de silêncio, pois a consequência mais drástica desta reforma, foi a morte do trema, uma prova disso é que ele nem apareceu a dezenove palavras atrás… Olha, pra falar a verdade, este foi o único tiro certeiro da reforma, pois há muito tempo que o trema foi esquecido pelos brasileiros…
 Para encerrar, gostaria de dar meu recado, cheio de palavras bonitas e impactantes pra “matá a pau”: Algumas coisas mudam, outras não… mas a vida continua e é isso que desejo a todos no ano novo e nos próximos: muita vida e vida em abundância, assim mesmo, pleonásmica, vida vivida vívicamente, e cheia de vida, como aquela vinheta da TV: Para todos, do empresário ao proletário, muita vida em 2009!…

Márcio Roberto Goes

One Comment

  1. adriananicoletti
    adriananicoletti 2 de janeiro de 2009

    Olá Marcio
    As mudaças acontecem e assim ganhamos no decorrer da vida. Agora precisamos acompahar o novo, mas como você escreve a vida continua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *