Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

Minha canção do exílio

Minha terra, palmeiras já não tem

De vez em quando tem um sabiá,

Tucano, “tico-tico no fubá”

Pardais e as gralhas, só de vez em quando,

Pois desmataram suas araucárias…

Minha terra até já foi capital

Da indústria, parreiras e pinheirais…

As indústrias continuam fazendo

Fortuna na mão de obra barata…

As parreiras e os pinheirais?… Cadê?…

Minha terra, sem dúvida, já é

Da plantação de tomate capital…

Porém só vejo um fabuloso parque

Que mesmo no centro ainda não faz

Melhorar a vida do pobre povo …

Não aprendi a plantar, sequer colher…

Não sou corruptível politiqueiro…

Só sei usar estas poucas palavras

Parafraseando Gonçalves Dias

Pra com elas escrever meu protesto…

Na minha pequena “Canção do exílio”

Sem métrica, nem rima

Venho pedir socorro ao povo pobre

Pois, com amor, desta terra sou filho.

Terra que enobrece quem já é nobre,

Enquanto o povão, nos bairros sofre…

Márcio Roberto Goes

www.cacador.net

www.portalcacador.com.br

Jornal Informe – O diário Regional

Jornal Fonte – Diocese de Caçador

2 Comments

  1. Ana
    Ana 13 de Março de 2010

    Parabéns, Marcio. Essa sua Canção do Exílio…..quem sabe os nossos governantes municipais leiam-na e resolvam colocar no museu o atual hino, reformuland0-o, que como vc mesmo coloca..agora o tomate impera. Da fortuna da madeira, os pais já se foram, os filhos continuam ostentando um padrão que nao tem porq nao aprenderam a trabalhar. E mtos vão embora para não se envergonharem do que eram para o que são hj. É…a terra com madeira da qual mtos se apossaram a anos deu muita grana que ja fora gasta. E agora, José? O negocio é sumir de Caçador, mudar-se……ou virar político trabalhando num cargo enqto o viajando sauro( como vc ja colocou) continuar no pódio.
    Suas crônicas continuam ótimas.
    Abraços..e bom final de semana.

  2. Diva
    Diva 3 de Março de 2010

    Ótima “canção do exílio”, vivemos nesta realidade!!
    Como povo que sofre, as vozes devem levantar-se e gritar por mudanças… mudanças reais de vida!
    Parabéns pelo seu grito! Que outros possam juntar-se a sua voz!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *