Press "Enter" to skip to content

Meios de comunicação e juventude

 

No último final de semana de outubro, comemora-se o dia nacional da juventude, este ano coincide com o segundo turno das eleições presidenciais e testemunhamos, a cada dia, o crescimento da importância dada por nós aos meios de comunicação e à mídia, tanto na campanha que, a bem da verdade, só tem envergonhado nossos olhos e ouvidos, quanto na vida dos jovens contemporâneos…

 

A todo momento e em todo lugar, sempre tem alguém usufruindo das vantagens e desvantagens dos meios de comunicação… Alguns aspectos nos edificam, outros ajudam a nos destruir moral e culturalmente.

 

A qualquer hora do dia ou da noite é possível comunicar-se com qualquer ser humano, nos lugares mais longínquos mandando e recebendo mensagens SMS, ou pelo leptop, ou ainda por qualquer computador que esteja conectado a Internet, que é a maior criação humana de todos os tempos no que tange a comunicação.

 

Também a qualquer momento, é possível receber o mundo em nossa casa e em breve, poderemos interagir com ele, através do rádio e da televisão, que também evoluem numa velocidade exorbitante…

 

Qual é o papel, afinal, destes meios de comunicação em nossas vidas?… São eles nossos amigos, ou inimigos?…

 

A telefonia móvel que revolucionou as telecomunicações tem sido usada pra inúmeras funções muito além de sua essência… São elas todas úteis?

 

A Rede mundial de computadores pode ser acessível e simples, mas tem se contaminado cada vez mais com vírus virtuais e morais que destroem não só o computador, mas o cérebro, os valores e a dignidade de seu usuário.

 

A TV, hoje é nossa companheira de todas as horas, uma caixinha preta que nos permite economizar cérebro e ocupa um lugar privilegiado na sala: um membro da família… Aliás, que papel tem a família nesta relação?…

 

Esta interação do ser humano com os avanços tecnológicos tem ajudado a humanidade a evoluir de forma velocíssima, principalmente nos contrastes: Enquanto muitos estão despreocupadamente conectados, outros tantos são desumanamente isolados, vivendo ás margens do sistema de forma discriminatória, e por sua vez, desigual, sem ter acesso sequer à alfabetização: pré-requisito para a comunicação (quase) perfeita.

 

Diante de tantos contrastes, qual é nosso papel, como jovens à mercê dos meios de comunicação?… Qual é nosso compromisso diante destas desigualdades?…

 

A juventude é a mola propulsora do mundo, está em nossas mãos as condições necessárias para a redução destas diferenças. Cabe a nós a importante decisão de abraçar, ou não, esta causa…

 

Está em nossas mãos, jovens contemporâneos, a luta pela moralização e a socialização completa da mídia, à luz do Evangelho e contemplando os verdadeiros valores cristãos, a fim de que ela contribua para a verdadeira evolução da humanidade que a criou e a consagrou.

 

Márcio Roberto Goes

www.marciogoes.com.br

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *