Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

Grand Canyon Caçadorense

Dirigindo com atenção pelas ruas da cidade, pude contemplar as belezas naturais e artificiais da nossa querida Caçador…

Porém, quando cheguei no bairro Figuerôa (poderia ser qualquer outro bairro esquecido e abandonado de nossa cidade), na saída para Rio das Antas, percebi que, inexplicavelmente, minha visão começava a ficar trêmula… O que poderia estar acontecendo?… Será que foi a cerveja que (não) bebi?… Será que é estresse ou nervosismo?…

Não! Eu não tenho motivos para estar nervoso ou estressado num bairro tão pacato… Será que é a idade?… Mas ainda sou jovem (ou quase). Será que tenho algum problema de saúde desconhecido por mim: pressão, coração, diabetes, rim, bexiga, intestino, calo ceco, unha encravada, dor de dente?…

Desesperado, antes que minha visão embranquecesse, como no romance do autor português José Saramago: Ensaio sobre a cegueira, parei o carro e desci para procurar ajuda; observei a rua… Ali estava o grande motivo da minha visão trêmula: As ondulações, ou para ser menos elegante: os buracos. É impossível dirigir sem sentir ondulações em ruas tão cheias de saliências.

Conta um amigo meu que reside por ali, que as crateras são tantas, que às margens da rua existem buracos na fila esperando sua vez de pegar a estrada… Deve ser o sonho de todo filhote de Buracossaulo Rex, aliás, no centro da cidade, já observei alguns bichinhos desses perdidos… Pode ser crateras adolescentes rebeldes que fugiram de seus pais do Figuerôa ou de qualquer outro bairro menos favorecido para tentar a sorte (ou azar) no centrão.

Tenho medo que nossa cidade, em breve, seja invadida pelos Buracossaulos Rex que para se reproduzirem são mais rápidos que os coelhos, mas para exterminá-los é mais difícil e penoso que tomar sol em dia de chuva.
Alguma coisa precisa ser feita o mais rápido possível, precisamos mobilizar e alertar os motoristas para não transitarem por estas ruas, pois correm o risco de, repentinamente, serem atacados por um ou mais Buracossaulos, ficando com a visão trêmula e nos casos mais graves, ataque cardíaco depois de receber o orçamento dos reparos nos pneus ou na suspensão danificados por suas garras afiadas e certeiras.

Atenção, o Buracossaulo Rex não tem piedade, é feroz e ataca qualquer veículo que se aproxima… Não adianta correr… Todo cuidado é pouco. Os ônibus da Auto Coletivo já passam pé-antepé nas ruas invadidas por estes predadores, para não acordá-los.

Se assim continuar, chegará o dia em que as ruas do Figuerôa e de outros tantos bairros ficarão intransitáveis… Porém, existe o lado lucrativo na expansão das crateras: podemos aproveitar para fomentar o turismo, afinal, Caçador vai ter seu próprio Grand Canyon artificial, mais uma maravilha construída (ou destruída) pelas mãos (des) humanas.

Seja o/a primeiro/a a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *