Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

FOGO DE PALHA


03/05/2007
CAÇADOR ONLINE
05/05/2007
JORNAL INFORME


Oitenta e dois por cento da população brasileira se diz católica, segundo uma pesquisa que li recentemente…

Hã?… Quer dizer que só existem dezoito por cento de brasileiros evangélicos ou de outras denominações religiosas cristãs ou não?…
Não acredito!… Onde está este povo católico?… Na Igreja é que não, do contrário não haveria espaço o suficiente nas paróquias!… Mas é fato: a maioria da população brasileira é Católica Apostólica Romana. Pelo menos na minha paróquia já não há mais espaço o suficiente para arquivar tantos batizados…. Ué?… E por que nossas paróquias e catedrais seculares de uma Igreja milenar fundada pelo próprio Jesus Cristo não estão transbordando de fiéis?…
No final do milênio passado era chique ser católico: podia-se ler adesivos nos automóveis com a inscrição “Sou Católico, graças à Deus!”, todos os canais de televisão transmitiam as missas do padre Marcelo Rossi, que por sua vez, recebia tratamento de celebridade com direito a regalias no camarim, gravadora chique e tudo, entrevistas coletivas, presença no Gugu e no Faustão… Sem falar na grande propulsão de outros tantos padres-cantores e bandas que não tinham a menor vergonha de levar a Palavra de Deus a todos os povos. Era um novo jeito de ser igreja: mais novo que as CEBs e a Teologia da Libertação, que apaixonava os fiéis. Não tinha uma só pessoa neste país que não soubesse a letra completa de “Erguei as mãos”, e imitava sem nenhum receio os animaizinhos subindo de dois em dois…
Pois é!… Os anos passaram e o mundo não acabou… Chegamos ao terceiro milênio com as igrejas Católicas de todo do Brasil pegando fogo e o que nos resta no fim desta primeira década do século XXI são algumas brasas que ainda insistem em queimar tímidas, mas com a mesma vivacidade, apesar de estarem em menor número.
Não quero ser pessimista, mas me parece que estes oitenta e dois por cento que responderam à pesquisa estavam influenciados pela primeira visita do Papa Bento XVI ao Brasil. Espero que este evento dê um novo impulso à Igreja Católica em nosso país e torne real estas estatísticas, pois é um tanto estranho o fato de o Catolicismo compor a única Igreja dividida entre praticantes e não-praticantes, além de ser a única onde os sacramentos do Batismo, Primeira Eucaristia, Crisma e Matrimônio tornaram-se, para alguns (in)fiéis um mero símbolo de “status” (já presenciei casamentos em que o fotógrafo pedia para o padre repetir determinado momento da celebração a fim de dar o “clik” na hora certa).
Espero que o Santo Padre, a exemplo de seu antecessor João Paulo II, possa persuadir nossos fiéis, sobretudo os jovens a fim de por em ação a nossa Igreja libertadora que há tanto tempo vem sendo debatida pelas pastorais e movimentos no Brasil, mas que ainda engatinha, avançando muito mais lentamente que o resto do mundo.
Será preciso esperar mais uma virada de milênio para o povo católico acordar para as Verdades Eternas, movido pelo perigo do fim do mundo?… Será necessário o Papa visitar-nos todos os anos para podermos lembrar nossa confissão religiosa?…
É muito fácil, confortável e oportuno assumirmos o catolicismo na presença do Papa que jamais terá alguma objeção a este fato. Difícil é voltar ao cotidiano e assumir a fé diante da tirania do capitalismo selvagem e todas as suas malhas… Diante da TV aberta que insiste em nos convencer que devemos economizar cérebro e engolir qualquer pseudo-doutrina pregada pela programação que valoriza muito mais o ter do que o ser.
Seja bem-vindo, Bento!… Seja bem-vindo, mensageiro de Deus!… Esperamos estar abertos para assumirmos nossa verdadeira postura de fé, seja ela qual for. O importante é que seja de coração.
Márcio Roberto Goes

Seja o/a primeiro/a a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *