Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

ETERNAMENTE JOE


04/07/2007

CAÇADOR ONLINE
07/07/2007
JORNAL INFORME

Joe era um cara legal, não tinha inimigos (pelo menos não que eu soubesse), Estava sempre aberto às novidades, se desenrolava com facilidade e gostava de estar por dentro de tudo.

Meu amigo era baixinho (cerca de cinqüenta e dois centímetros) e gordinho, mas isso não fazia a menor diferença, pois sempre era flexível o suficiente para tomar a forma do membro que se aproximasse de suas bordas…Usava um chapéu de papel para esconder a carequinha sexy, vivia de língua de fora e não se fazia de rogado em mostrar seu sabor uva para qualquer um que se aproximasse… Vivia gosmento, fato que não o tornava menos importante, pois lhe permitia um melhor deslize, coisa que sabia fazer muito bem… Tinha os olhos azuis, da cor do céu, mas permanecia com os pés na terra e a cabeça na intimidade alheia…
Meu amigo Joe, apesar de não ter braços nem pernas, cativava as pessoas ao seu redor, e se permitissem, as fazia “ver estrelas” ao meio dia: Era só entregar-se ao momento, “relaxar e gozar”, seguindo o brilhante e proveitoso conselho da dona “Martinha Suplicy”, que veio no momento em que o povo menos precisava de ironia…
Bem, voltemos ao meu amigo fiel (ou quase!…): ele era um cara “quietão”, sempre “na sua”, não incomodava ninguém – os outros é que se incomodavam com ele – Sentava com a turma do fundão, sempre encostado na parede graças à fita adesiva, mas não dizia uma palavra enquanto o professor explicava a matéria, nem no resto da aula… Na verdade, ninguém conhecia a sua voz, sabia-se apenas que ele era cheio de gaz e muito leve, não guardava rancor, nem mágoas…
Porém, um dia, um professor mal amado, estressado, desequilibrado, carrasco e invejoso não suportou sua presença em sala, julgando-o pelas aparências: Afinal, um cara cheio de ar, sabor uva, gosmento, baixinho, gordinho, emborrachado e de boca fechada, não servia para a sua aula preocupadamente preparada, somente para pessoas normais. Um “tchô”, que depende de um nó na soleira para manter-se cheio, não merecia viver entre os outros jovens inteligentes e espertos…
Munido de uma caneta esferográfica pontiaguda e afiada, aquele “mestre do terror” caminhou cegamente em sua direção até o fundo da sala. Seus colegas afastaram-se prevendo o perigo que os cercava. Sem se dar conta da atrocidade que estava prestes a cometer, o professor desferiu um único e certeiro golpe sobre o pobre e indefeso Joe que não teve sequer uma mísera chance de se defender…
Era o fim!… Meu amigo Joe explodiu e com ele toda uma história abreviada inutilmente, pois ainda tinha dois anos de validade. Seus amigos, que o construiram com muita dedicação e carinho a partir de um preservativo que não conseguiu preservar a própria vida, criaram até uma comunidade no Orkut em sua homenagem e deixaram em seu lugar, no dia seguinte, uma mensagem de consolo e saudades:
“ Joe, foi muito bom ter conhecido você. Foi uma tragédia o que lhe fizeram… sentiremos sua falta, nunca deixaremos de lembrá-lo, pois você faz parte de nossas vidas. Amamos vc!… Bjus!… Ass: Seus eternos amigos da turma 204.”
Ele se foi sem dizer uma palavra, sem reagir… Pobre, miserável, estraçalhado e virgem…

Márcio Roberto Goes

Profundamente comovido

Um Comentário

  1. Rodrigo
    Rodrigo 8 de julho de 2007

    Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Se você quiser linkar meu blog no seu eu ficaria agradecido, até mais e sucesso. (If you speak English can see the version in English of the Camiseta Personalizada. If he will be possible add my blog in your blogroll I thankful, bye friend).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *