Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

ELEFÂNCIA


20/06/2007

CAÇADOR ONLINE
23/06/2007
JORNAL INFORME

Nestas minhas três décadas de vida, muitas dúvidas me assolaram a alma por muito tempo, para algumas delas, até hoje não encontrei resposta: Porque a mosca tem tanta perna se ela voa?… Quanto tempo demora um minutinho?… Existe minuto pequeno?… Quando usamos a palavra “dinheiro” no plural?… Porque ainda não “ponharam” o verbo “ponhar” no dicionário e na gramática?… Porque ainda não precisei dividir uma oração em “sujeito e predicado” a não ser na sala de aula?… Porque ninguém viu um chester vivo até hoje?… Qual é a fórmula da Coca-cola?… Porque chamamos o milho verde de verde se ele é amarelo?…

Porém uma delas desafiou minha débil inteligência nos últimos dias: É possível colocar um elefante na geladeira?… Como?… Basta abrir a geladeira e pôr o bichinho lá dentro!… Parece uma coisa simples e óbvia e assim seria se o tamanho do elefante não fosse desproporcional ao da geladeira, fato que complica, e muito, nossa missão de enfiar um trombudo no refrigerador.
Por várias noites perdi o sono com essa dúvida… O leitor deve estar me chamando de louco, mas parece ser uma loucura menor do que perder o sono se preocupando com picuinhas e alimentando ódio no coração enquanto o ser odiado dorme tranqüilo… Aliás, alimentar ódio é a mesma coisa que tomar o veneno esperando que o outro morra.
Voltemos à nossa questão elefântica e extremamente útil, afinal, sou perseverante naquilo que acredito, e não sossego enquanto não obtenho uma resposta convincente…
Outro dia, na casa da minha namorada, enquanto tentava esquecer desta dúvida cruel, eis que encontro, belo e formoso, um elefante… Verdade, minha namorada tem um elefante em casa… Pôxa vida!… Já faz um ano que ela me “guenta” e eu não havia percebido tal fato tão relevante naquela residência típica de descendentes de italianos, em meio a salames e polentas…
Já percebe-se qual foi a minha idéia no momento!… Durante longas horas, não conseguia pensar em outra coisa que não fosse partir para o lúdico e tentar enfiar aquele mamífero proboscídeo dentro da geladeira.
Tarde da noite, todos dormindo e nós a sós na sala… Meus olhos alternavam entre a geladeira e o elefante, não conseguíamos namorar em paz, até que dirigi-me para minha italianinha e supliquei:
– “Por favor, vamos tirar a teima?… Quero ver se é simples assim para colocar um elefante na geladeira. Você abre a porta do refrigerador e eu soco o bichinho lá dentro! Combinado?”
Foi o que fizemos e achamos exageradamente útil no momento. Não foi tão difícil, pois o elefante colaborou conosco sem fazer barulho ou reclamar.
E lá estávamos nós… Dever cumprido. Conseguimos provar a veracidade do mito que para colocar um elefante dentro da geladeira, basta abrir a porta e colocá-lo lá dentro.
Já era madrugada quando voltei para casa e minha memória, que não é de elefante, já havia esquecido da questão elefântica que embalou nosso namoro até então.
Fiquei sabendo que no dia seguinte, o “sogro véio”, na hora do almoço com a família reunida, indaga surpreso e inconsolável:
“Quem foi o ‘artista’ que colocou o elefante de cerâmica na geladeira?…”
Márcio Roberto Goes
Quem estou?… Onde sou?…

Um Comentário

  1. Alisson
    Alisson 7 de julho de 2007

    Não creio que escreveu até sobre isso,,,, rsrsrsrsrs
    Bom, nem mesmo a batata assassina foi pro lance NEH???

    Sorte que você não “perdeu” noites de sono pensando em tirar o elefante da geledeira e colocar a girafa (por acaso não tem girafa de ceramica dna casa da tua namorada ne?)

    Bom té mais cumpade!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *