Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

DÉCIMO TERCEIRO SONO

PUBLICADO EM: 21/12/2006
JORNAL INFORME

Roupa nova para toda a família… Um tênis, daqueles que acendem uma luzinha vermelha quando pisa, para o mais novo, acompanha uma calça jeans, uma camiseta da “cavalera” e um boné “da hora” (espero que esta gíria não esteja ultrapassada… não me agrada nada saber que estou atrasado…), para a do meio, umas cinco blusinhas (daquelas generosas, que deixam aparecer a barriguinha… ou a falta dela), três sapatos, dois tamancos plataforma nas cores da “moda”, três tênis,e cinco calças de cintura baixa (mais generosas ainda…), uma para cada blusinha. Para o mais velho, que termina o ensino médio, uma camisa social (que vai usar pela primeira e última vez na formatura…), calça e sapato sociais para acompanhar a camisa, e outras roupinhas que qualquer adolescente não se permite viver sem, como bermudões, camisetas com estampas “maneras”, tênis com amortecedor (como se o calcanhar não tivesse esta utilidade…) e uma pulseira, de sobra de couro do curtume, preta, cheia de rebites e que custa muito mais do que o próprio boi vivo… Para a esposa, um vestido de gala, também para usar uma única vez, na formatura do filho, e para ele, um par de sapatos, camisa, calça social e um colete de lã azul, da cor de seus sonhos… apesar de não ser o “Zé Roela” do comercial daquela cerveja meia-boca (Desculpe! Como eu não bebo, qualquer cerveja é meia boca para mim…), nem o “Patric” de Zorra Total, ou qualquer “lesado” da tv que use colete… aliás, não sei o que os meios de comunicação têm contra aqueles que usam colete… Enfim, apesar de não ser nenhum desses personagens criados inteligente e inutilmente pela MIDIA, João dos Sonhos Azuis aprecia muito essa vestimeta que cai bem em qualquer estação no meio-oeste catarinense.
Muito bem, ao sair daquela loja que vende calçados e confecções pelo menor preço e condições suaves para pagar (quando a dívida for quitada, até a luz do tênis do mais novo já estará opaca…), agora é a vez dos eletrodomésticos… Dá pra escolher “a dedo” as lojas que oferecem condições mirabolantes para o João terminar o “atolamento” de seu orçamento. É preciso trocar o refrigerador, que ainda é daqueles azuis com puxador na vertical de fora a fora da porta, com uns trevinhos de quatro folhas estampados de cima a baixo… o forno elétrico deve ser substituído por um microondas… a lavadora e a cenrífuga, trocadas por uma única máquina que faz o mesmo trabalho sozinha, em menos tempo e com menos consumo de energia e um computador deve fazer parte da decoração da sala, juntamente com a mesa e a cadeira giratória…
Como pagar?… É simples, usa o décimo terceiro salário para a entrada e o resto em suaves prestações que vão tirar o sono do João por vários meses, e seus sonhos de consumo tornar-se-ão pesadelos… (É incrível! Pela primeira vez, consegui usar a mesóclise num texto!…) Isso, quando o “décimo” já não está comprometido desde setembro ou outubro, quando o João aproveitou as liquidações de fim de estação…
Bem, o décimo terceiro chegou… e com ele mais esperanças de satisfazer os mais nobres, estupendos e excepcionais sonhos de consumo (azuis ou negros…)… Com ele, vem também a ilusão de “poder de compra” que não garante o “poder de paga”, mas que dá a oportunidade de presentear e ser presenteado, sem grandes esforços imediatos neste Natal… Pena que o aniversariante quase nunca é convidado para esta festa capitalista, eletiva e selvagem…
É!… O décimo chegou… Chegou?… Onde?… Tem certeza?… Tarde demais!… Ele já se foi!… E não volta mais!?… Outro desses, só no fim do ano que vem!… E num piscar de olhos (ou da luzinha de um tênis caro) ele se vai novamente.
Dinheiro vai!… Dinheiro vem!… Mas o Natal continua… E o aniversariante ali, calado… só esperando um sinal de esperança da humanidade que apodrece a cada dia enterrada na impressão gráfica da “Casa da Moeda”, cheia de esperanças, mas desesperada por não poder repartir igualmente as oncinhas com o povo que raramente vê um beija-flor batendo asas e voando de suas mãos para juntar-se aos miseráveis que mentem para fugir do leão…


Márcio Roberto Goes
Cadê meu décimo???

Um Comentário

  1. Lidi
    Lidi 7 de outubro de 2015

    Eu adorei esse site. Ento no meu caso o que tava me enxendo o saco era estar me acabando em enxaqueca. E minha rinite alrgica tambm s piorando. No inicio no coloquei confiana no mas por indicao de uma vizinha acabei adquirindo um travesseiro desses para alergia. E no que melhorou minha dor de cabea e as alergias… Eu nem notei, demorou uns 2 meses para notar o resultado. Comprei on line num site… achei! o nome comprido travesseiro magntico nasa antialrgico http://travesseiro-nasa-magnetico.com.br Acho que postei certo o site. Deixo a sugesto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *