Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

DE QUEM É A VACA?


PUBLICADO EM: 29/06/2006
JORNAL INFORME

DE QUEM É A VACA?

Era uma vez, uma vaca jovem, bonita, gostosa e safada que gostava muito de pular cerca… Que vida boa levava ela! Cada dia era um touro diferente… Apesar dos conselhos de sua mãe, mansa, velha, experiente e chifruda, ela continuava a viver uma vida perigosa e depravada. Até que se apaixonou por um touro jovem, sarado e viril de uma propriedade vizinha, entregou-se a ele de corpo, alma e chifres… Foi uma paixão avassaladora que a deixou de quatro, orelhas murchas e cola erguida pelo bonitão. Só que, ao erguer a cola, esqueceu-se do preservativo, fato que rendeu-lhe uma gravidez indesejada e muito preocupante.

Temendo a reação da “vaca véia”, a pobre rês apaixonada e embuchada foge com seu príncipe taurino para a propriedade vizinha. O corno reprodutor desconfia de sua amada chifruda, mas mesmo “com uma pata atrás”, aceita aquela pobre ninfeta bovina e passam a viver juntos.
Mas, mesmo para os bovinos, a vida de casado não é nada fácil, principalmente se o marido é um renomado reprodutor e tem, por obrigação “traçar” todas as suas companheiras de curral, se não ele é quem será traçado por um espeto. Vendo seus chifres crescerem, a miserável rês, agora não tão apaixonada assim, fica indignada, mas não pode fazer nada, pois precisa de um pai para seus filhotinhos.
Nascem duas adoráveis vaquinhas: uma puxou o pai, a outra não se sabe… Ocorrência que deixou o bonitão reprodutor cego de cólera e expulsou a vaca safada e o filhote cuja paternidade era duvidosa. A única solução, depois de levar uma patada no traseiro, era baixar a cola e pedir asilo a sua mãe, que provavelmente a perdoaria e aceitaria de volta, porque no coração materno não cabe ódio…
A mãe perdoou e a recebeu de patas abertas, mas o proprietário da fazenda não gostou nem um pouco da situação… E quando os humanos se metem nos problemas dos animais, procuram a justiça humana… Foi o que o fazendeiro fez, levou o caso para a justiça, que achou por bem, fazer o exame de DNA para saber de quem é o animal, já que a rês voltou marcada pelo outro proprietário (soluções modernas para problemas arcaicos).
Enquanto o resultado do DNA não sai, vaca véia, vaca nova e netinha vivem felizes; e o chifrudo bonitão continua exercendo sua função de reprodutor, esperando sua filhotinha crescer para “traçá-la” também.

Animais com animais se entendem perfeitamente, mesmo em linhas tortas, porque entre eles ainda existem o instinto materno e o perdão. Uma patada de luva nos humanos…

Márcio Roberto Goes
Quase humano

2 Comments

  1. Márcio Goes- A bolsa da Zita
    Márcio Goes- A bolsa da Zita 10 de outubro de 2009

    […] com a calmaria da cidade vizinha que presenciou in loco todo o desfecho da história do primeiro DNA de vaca feito no Brasil… Esta criatura, andava pela rua, despreocupada, cantarolando uma canção qualquer do […]

  2. Anonymous
    Anonymous 7 de outubro de 2006

    esta crônica me cansou ( no bom sentido) meus alunos gostaram tanto que tive que ler umas 20 vezes. mas valeu a pena, pois foi atraves dela que eles aprenderam a escrever cronicas de humor. valeu marcio,abracos da amiga Andrieli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *