Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

Carta resposta do eleitor

Fonte: brejonewsnoticias.blogspot.com
Fonte: brejonewsnoticias.blogspot.com

 

Senhor candidato:

Hoje, num acaso do destino, vi aquela foto que você pagou mil e duzentos reais para publicar na capa do jornal e imediatamente lembrei que lhe devo profundos agradecimentos por tudo o que tem feito por mim e por minha família… Não quero que pense que sou ingrato com sua generosa pessoa, mas existem alguns pontos a destacar no que diz respeito às suas praticas eleitorais:

Aquela cesta básica que apareceu ocasionalmente em minha varanda na calada da noite anterior ao dia das eleições, acompanhada do seu “santinho”, foi muito útil para matar nossa fome por alguns dias, porém, vejo que, nestes quatro anos, vossa senhoria não tem feito nada em favor de outros tantos famintos de nossa região a espera de uma providência que vise a solução definitiva de um problema coletivo… Penso que minha família vale muito mais que alguns quilos de alimento e me pareceu um desaforo trocar nosso voto por comida não-perecível que faz perecer nossa moral e ética…

Da mesma forma, agradeço aquela nota de cem reais entregue a um familiar meu por um de seus cabos eleitorais, anexada à “colinha” com seu número, porém lamento dizer-lhe que durou pouco e não teve muita serventia, como acontece com tudo o que é sujo e ilegal. Esse dinheiro poderia ser melhor usado por vossa senhoria, já que suas promessas eram mirabolantes e creio piamente não ter sido o único favorecido com tamanha generosidade…

Ah!… Quase ia me esquecendo da ordem de combustível daquele posto, cujo dono também é do seu partido, ajudando a manchar ainda mais aquela sigla. Foi muito útil, pude rodar vários quilômetros, porém, pesquisei seu passado e não encontrei lá nenhum projeto da vossa pessoa em favor de um transporte público de qualidade e acessível aos trabalhadores menos abastados…

Recordo-me também das tantas obras faraônicas e vazias, das quais o senhor tanto se gaba e diz que “fez isso e fez aquilo”, desmerecendo os trabalhadores que deram seu suor para que a edificação fosse erguida… Porém, percebo que tais ações não passam de vitrines eleitorais, pois o material utilizado é de péssima qualidade e as obras, apesar de recentes, encontram-se com sérios problemas estruturais, além do mais, quase todas as empreiteiras envolvidas superfaturaram a obra e, mesmo assim, faliram vergonhosamente. Confesso que minha inteligência miserável deste cérebro de proletariado não foi suficiente para entender tal relação de negócios…

Agora, você visita novamente minha casa, dá tapinhas em minhas costas, pega minhas crianças no colo, gruda em meu peito um boton com sua foto editada por algum programa usado por algum marqueteiro e pede, descaradamente o meu voto de novo.

Infelizmente, preciso ser sincero com vossa excelência: Você não terá a honra do meu voto novamente, também não vou aceitar seus agradinhos e gentilezas. Tudo isso em nome de minha dignidade, pois sou um ser humano e mereço ser tratado como tal. Não sou mercadoria que se compra ou se vende em troca de benefícios momentâneos. Tenho valor muito maior que uma cesta básica ou uma ordem de combustível. Preciso, ou melhor, todos nós precisamos de um retorno muito maior para o nosso voto. Queremos propostas para solucionar os problemas sociais criados por este capitalismo selvagem defendido por toda a sua equipe. Estamos cansados desta política suja que só fortalece quem já é forte e o povo continua esquecido. Sua compra de votos só vai criar mais problemas para nós, pra você e, principalmente para nossa Pátria amada, mãe gentil.

Perdi, totalmente minha confiança na vossa pessoa e você perdeu, para sempre, o meu voto, pois nestes quatro anos aprendi o verdadeiro significado de algumas palavras como: corrupção, ética e dignidade…

Mil perdões, senhor candidato!

Um Comentário

  1. aliona
    aliona 29 de agosto de 2010

    ola mrcio parabens pela critica das eleições 2010 um abrço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *