Press "Enter" to skip to content

Abandono

 

Fonte: http://lafora.com.br/2007/12/guerrilha-contra-abandono-de-caes/
Fonte: http://lafora.com.br/2007/12/guerrilha-contra-abandono-de-caes/

 

No Martellão tem muitas subidas e descidas, algumas pavimentadas com asfalto casquinha, outras nem brita… Numa delas, a Silvio Gioppo, principal e mais íngreme, se vê de tudo…

Dia desses, com meu azulão 96, parava eu na padaria para fazer um lanche, meus olhos castanhos, míopes e ceratocônicos não puderam deixar de testemunhar uma cena terrivelmente triste e desumana: Um carro, não me pergunte qual, nem prestei atenção a este detalhe, não lembro cor, marca, nem modelo, subia o morro acelerando tudo, parecendo querer fugir de alguém, ou de uma situação… O motor era bom, subia em alta velocidade sem reclamar…

Logo atrás, um cão, aparentemente sem raça definida, preto com alguns detalhes brancos, parecia bem cuidado de pelos grandes e macios, também corria tudo que podia seguindo o automóvel dos humanos desumanizados… Pela metade do morro suas pernas não aguentaram o tranco, foi diminuindo a velocidade e se distanciando cada vez mais do carro…

Típica cena de abandono de animais. Já tinha visto outras, mas não no meio da civilização… Quem são os seres humanos, chamados racionais, capazes de cometer tamanha crueldade com aquele que é o melhor amigo da humanidade?… Certamente trata-se de um descendente muito distante do homo sapiens que ainda não aprendeu a amar. Pois a vida – qualquer vida – não pode ser medida como se fosse uma mercadoria que, quando perde a utilidade, deve ser descartada… O cachorro é um amigo que continua nos amando, mesmo depois de o furtarmos de sua mãe, prendermos cruelmente numa corrente privando-o da liberdade em nome da nossa… E até maltratando-o quando não faz o que queremos…

O cãozinho ficou lá, como que esperando o retorno daqueles que, cruelmente o entregaram ao acaso… Seus olhos pareciam buscar no horizonte um pingo de consideração por tudo aquilo que foi e que fez na vida das pessoas que o adotaram para depois abandonar…

Pobre cãozinho, mal sabe ele que os seres humanos são assim mesmo: Usam, abusam de outras vidas e, depois que não os serve mais, entregam ao abandono…

 

Márcio Roberto Goes
www.portalcacador.com.br
www.cacador.net

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *