Press "Enter" to skip to content

Mês: junho 2014

Generosidade precoce

Durante minhas quatro décadas de vida, tenho aprendido muito com os seres ao meu redor, sejam eles humanos, ou não… Com minha mãe, aprendi a ter fé em Deus, na vida e nas pessoas, com minha irmã aprendi que não existem obstáculos para um guerreiro, com meu primeiro sobrinho, aprendi que tudo que se ensina retorna em aprendizado, com os cães que passaram por minha vida, aprendi o amor e o carinho incondicionais… Com meus alunos aprendo, diuturnamente que a sala de aula é o melhor lugar do mundo para se conhecer pessoas fantásticas… Enfim, aprendo constantemente com todos ao meu redor…
Mas nos últimos dias, tive lições grandiosas de vida com uma garotinha de três anos que ainda está descobrindo o mundo ao seu redor… Minha sobrinha-neta, filha do sobrinho que aprende comigo e me devolve conhecimento… Ela mesma, por várias vezes me fez parar, repensar ideias e atitudes, mas foi na Páscoa que percebi o quanto o ser humano aprende a ser egoísta no decorrer da vida…
Fui comemorar a festa da ressurreição de Jesus no vizinho estado do Paraná, onde fica a residência oficial desta garotinha e sua família… No domingo cedo, ela encontra uma cestinha cheia de presentes deixados pelo tal “Coelhinho da páscoa”, aquele ser estranho que é mamífero, roedor e põe ovos… e ovos de chocolate, o que é mais incrível… A alegria ao ver os doces encontrados depois de muita busca, se revelava no brilho de seu olhar, no sorriso encantador e inconfundível daquela que ama ver este tio que vos escreve fazendo caretas… Até aí, tudo normal para uma criança na primeira infância… A tarde subi no ônibus e parti para Caçador, deixando lá, um pouco do meu coração… Vim contendo o choro durante alguns quilômetros até que o embalo do veículo me fez pegar no sono…
Alguns dias depois, recebo no e-mail, um vídeo que me emocionou profundamente… Tratava-se de imagens de minha sobrinha querida, com mais uma cesta em seus braços correndo pelo quintal, desejando feliz Páscoa a todos e oferecendo seu presente a cada primo do qual se aproximava… Ela já tinha recebido seus doces de manhã, portanto sua mente pura de egoísmos humanos e seu coração extremamente generoso a fizeram pensar que aquela segunda cesta não deveria ficar com ela…
Quando se aproximava de um priminho e via que ele também já estava com os braços preenchidos por uma cesta, baixava a cabeça desolada e continuava a busca por alguém que precisasse mais do que ela daquele presente… Esgotadas todas as possibilidades, percebe que a única pessoa de mãos vazias era sua mãe, estica os bracinhos, segurando firme os chocolates e diz num sorriso: “É pra você!”… Sua mãe responde: “Isso é seu, filha!… Só então ela percebe que o presente deveria ficar, realmente com ela…
Todos somos generosos na essência, mas este mundo capitalista e cruel nos ensina que, para sermos respeitados, precisamos acumular bens e nunca repartir… Todas as pessoas que acumulam fortunas explorando outros seres humanos são homenageados, idolatrados, depois que morrem, se transformam em nome de ruas, escolas e praças e os trabalhadores que calejaram as mãos trabalhando para estes engravatados, raramente são lembrados… Tudo isso faz nossas crianças crescerem vendo que para ser gente respeitada é preciso acumular e não partilhar… A minha sobrinha querida e generosa, ainda está imune a essas intempéries… Mas uma criança não aprende nada sozinha e se ela se mantém generosa é porque vivencia isso em seu lar. Mérito de seus pais que não têm ideia do ser humano fantástico que estão criando…
Congelei o vídeo no último segundo: A menininha de três anos, com seu segundo presente de Páscoa nas mãos, olhando para a câmera… Parafraseando Fernando Sabino, compus a seguinte frase: “Assim eu quereria minha última crônica: Que fosse pura, ingênua e generosa como este olhar…”

www.radioativacacador.com.br
www.pj-cacador.blogspot.com
www.portalcacador.com.br
www.cacador.net

Leave a Comment