Press "Enter" to skip to content

Mês: novembro 2012

“Um país rico é um país sem pobreza”

 

Esta frase dita pela presidenta Dilma tem rendido inúmeros comentários e críticas cruéis feitas pelos usuários do Facebook… Ao contrário da maioria das pessoas, penso que, ao invés de absurda, essa seja uma das frases mais filosóficas ditas por uma autoridade brasileira dede que eu me conheço por gente quase politizada…

Existem muitos aspectos nas entrelinhas que podem e devem ser analisados por nós, simples mortais, acerca do verdadeiro sentido dessas oito palavras…

Imaginemos um país rico. Qualquer país… Pode ser esse aí que se acha poderoso e se impõe chamando seus habitantes de Americanos, esquecendo-se que a América vai muito além dos Estados Unidos. Aliás, de unido só tem o nome, já que seus estados são quase independentes e possuem as próprias leis…

Esse mesmo aí, que fala Inglês e se julga dono do mundo… É um país rico. Certo?… Ok! Mas a riqueza toda do país mais rico do mundo (ou quase), está na mão de quem?… Quantas pessoas usufruem dessa riqueza de que tanto se gabam?… Certamente não está na mão da maioria da população da grande nação americana. Grande, porém não única… População esta que ainda não conta nem com um sistema de saúde pública, coisa que o Brasil já tem há muito tempo, apesar de muitos governos anteriores tentarem sucatear o SUS para justificar a privatização. Não conseguiram, graças ao primeiro operário presidente desta nação, sucedido pela primeira mulher a alcançar o cargo mais importante do país depois da princesa Izabel…

Pois bem, os países ricos também têm pobreza… E muita… Pois para sustentar o posto de país rico é preciso que os pequenos sejam sacrificados. Portanto, a meu ver, a intenção da presidenta ao dizer estas palavras, foi revelar a vontade de fazer o país crescer sem sacrificar ainda mais aqueles que levam a nação nas costas: os trabalhadores, como eu e você… Se esta vontade é verdadeira, não cabe amim julgar, porém sabemos que nosso país está longe de ser rico, mas está a caminho… E quanto mais crescer, que cresçam também os pobres. Estes crescendo, deixam de ser pobres, enfim, o Brasil tornar-se-á um país rico e sem pobreza…

No entanto, levando-se em conta que os países ricos têm a pobreza acentuada, isso torna-se um sonho utópico, apesar de não ser impossível… Se tiver boa vontade para trabalhar em favor do povo, chegaremos a um país rico e sem pobreza… Mas existem muitos “podres de rico” a quem interessa que o país continue pobre e com mão de obra barata para bem servi-los, inclusive grande parte deles está lá no planalto, criando e votando as leis em favor do quê?… Da riqueza do país pobre…

Me perdoem os que discordam, mas esta frase faz muito sentido para mim e para os excluídos da sociedade… O que mais me admira é que essas críticas ao valor semântico da frase, partem dos pobres que poderiam ter seu padrão de vida melhorado se vivêssemos num país rico e sem pobreza…

www.marciogoes.com.br

www.portalcacador.com.br

www.cacador.net

www.portalcdr.com.br

Leave a Comment

Deus salve a América… God bless America… Dios bendiga a la America…

 

Afinal, quem são os americanos?…

Olhe no mapa. O Brasil também fica na América… América do sul, o maior país deste continente, único de Língua Portuguesa…

Mas por que chamar só o pessoal dos Estados Unidos de americanos?

Deve ser porque eles querem ser donos das Américas e do mundo… Manter a postura de que o presidente deles é o cargo mais importante do planeta… Importante pra quê?… Pra dizer que os demais países estão todos abaixo de seu reinado?… Pra poder brincar com a vida dos outros seres humanos, obrigado-os a se render ao capitalismo selvagem da pseudo-liberdade?

Que liberdade é esta que não nos deixa ser soberanos em nosso próprio país?

Que liberdade é essa que nos obriga a endeusar os Estados Unidos e seu presidente?

Me parece um pouco incoerente para nós que amamos nosso país e continuamos idolatrando tudo o que vem lá de cima da América, como se lá tudo fosse perfeito, como se fossem nossos superiores…

De fato, são tão superiores que ainda não conseguiram criar uma urna eletrônica segura, versátil e democrática…

Ah sim… Isso é mérito nosso… A urna eletrônica é criação brasileira, mas os poderosos da América não querem dar o braço a torcer e usufruir desta tecnologia só porque vem do terceiro mundo…

Mas nós podemos copiar toda a podridão deles: Copiamos o BBB, a maioria dos formatos dos programas de auditório e até a organização dos debates nas últimas eleições presidenciais brasileiras… Aliás, compare comigo o destaque dado pela mídia brasileira às eleições presidenciais dos Estados Unidos e às nossas eleições municipais deste ano, e ainda às eleições presidenciais de 2010…

Voltamos os olhares ao norte da América, damos as costas a los hermanos al rededor e abandonamos nosso país, nossos ideais, sonhos e lutas para aplaudir a escolha do presidente dos Estados Unidos…

Deus salve a América… dos norte-americanos!

 

Márcio Roberto Goes

www.portalcacador.com.br

www.cacador.net

www.portalcdr.com.br

 

Leave a Comment

Frederico

Galo frederico

Sempre gostei de animais… Sempre gostei de tê-los por perto. Até porque, também sou um animal, eu e todos os outros seres humanos ao meu redor que se julgam poderosos por se considerarem racionais…

Pois bem, depois de sepultar meus dias de aluguel, passei a morar numa meia-água própria no maior bairro da cidade, num loteamento que me surpreendeu pela tranquilidade que contraria tudo o que me diziam sobre o Santa Terezinha… Meu terreno é aberto e, por sua vez, frequentado por todo tipo de animal, racional, ou não… Já recebi visita dos cães famintos que vêm partilhar a ceia arrecadada dos lixos luxuosos e desperdiçados dos homo sapiens ao redor, aliás parece que os racionais aqui por perto nunca ouviram falar em sustentabilidade, ou reciclagem, pois junto com o manjar dos cachorros encontro todo tipo de embalagens que deixaram de ser reutilizadas, ou recicladas só por preguiça de fazer os procedimentos necessários…

Às vezes, me deparo com cavalos pastando tranquilamente no meu quintal, devem ter fugido da chácara aqui perto para provar um pasto diferente. Neste caso, nem reclamo de deixar o mato crescer, pois serve de alimento para outro ser vivo transeunte…

De manhãzinha, desperto-me com o canto alegre e livre dos pássaros que parecem homenagear mais um dia presenteado pelo criador, agradecendo pelo dom da liberdade e do cantar. São felizes por fazerem aquilo que mais lhes agrada: voar e cortar os céus sem medo de predadores, principalmente os humanos munidos de estilingues e espingardas de pressão…

Mas as visitas mais frequentes que recebo são de três criaturinhas simples e que me ensinam muito sobre a vida, pois vivem para comer e se reproduzir, sem terem a noção de que aqueles que as alimentam são os mesmos que as matarão depois para comê-las. Três galináceos: O Frederico e aquelas que penso serem suas duas esposas, a Sissi e a Sussu. Todos carinhosamente batizados por mim e pela Bruninha. O galo Frederico é o menos corajoso, ao me ver, é o primeiro a correr e deixar suas duas galinhas desamparadas. Mas tudo bem, não tenho a intenção de fazer-lhes mal. São meus amigos e, com o passar do tempo já não se incomodam com minha presença…

Já fazia quase uma semana que meus amigos cacarejadores não davam o ar da graça… Eu já estava ficando preocupado… E, finalmente hoje, pela manhã, encontro ciscando no meu quintal a Sissi, sozinha, cabisbaixa, ora dava uma bicada tímida no chão, ora cuidava ao redor. Quando me viu, ficou com cara de dúvida, não sabia se fugia, ou me deixava aproximar. Para não magoá-la, parei e fiquei observando…

Não quero pensar no pior, mas provavelmente foi isso que aconteceu: Meus dois amigos, Frederico e Sussu foram degolados e colocados numa panela para servir de alimento aos animais racionais… Uma lágrima escorreu em meu rosto e meus amigos vegetarianos devem me entender… O ser humano é o único capaz de dar comida e cuidar de outros animais para depois matá-los e comê-los…

O pior disso tudo é que não criamos animais só para matar nossa fome, o fazemos para obter lucro, tratamos nossos semelhantes do reino animal como se fossem produtos, nossos irmãos humanos como consumidores e nos esquecemos que somos todos criaturas. Uma vida não pode valer mais que outra só porque tem raça definida, ou porque é da cor que a sociedade julga superior… Enfim, somos todos semelhantes. A cadeia alimentar é uma realidade da natureza, mas não podemos explorar outras vidas só para nosso conforto, ou para nos sentirmos melhores…

Descanse em paz, Frederico… Descanse em paz, Sissi… Infelizmente, a vida curta de vocês cumpriu a missão de alimentar outro ser vivo, mesmo que este tivesse outras formas de alimento menos cruéis…

Eternas saudades…

 

Márcio Roberto Goes

www.portalcacador.com.br

www.cacador.net

www.portalcdr.com.br

Leave a Comment