Press "Enter" to skip to content

Mês: junho 2012

Sonhos Azuis – CAPÍTULO XXI

 

As suspeitas de nosso sonhador, infelizmente estavam corretas mais uma vez, apesar de nunca render-se aos seus pensamentos proféticos… Já se passava mais de quatro horas que os dois amantes se encontraram na rodoviária:

Bom-dia amorzinho!

Bom-dia! Você está atrasado, Adam… Vamos logo, antes que alguém nos encontre aqui…

Iracema tinha a impressão de que todos ao seu redor estavam olhando para ela… Sentia, lá no fundo de suas paranoias que todos a julgavam… Na verdade estava sendo julgada por ela mesma, por um instante teve um profundo sentimento de arrependimento, mas em seguida tentou esquecer, pois aquela situação tomava rumos sem volta para ela e para o Adam que, em silêncio, a ajudava com a bagagem até o carro… Ao ouvir a batida do porta-malas, ouve simultaneamente a voz do seu amante perguntando:
Pronta para nossa primeira viagem juntos?
Ela exitou por um momento, estava dividida entre a insegurança e a vontade de apimentar sua aventura com o patrãozinho, respondeu afirmativamente, apenas com um sinal de cabeça e entraram no carro em silêncio, rumo a capital, na casa de praia do microempresário… O local era perfeito: longe dos conhecidos de sua cidade, ainda não havia iniciado a temporada de verão, o que tornava o ambiente muito mais tranquilo e romântico. Os dois pombinhos fétidos seguiram uma viagem tranquila parando algumas vezes para se alimentarem e trocarem carícias. Numa das escalas, pararam em um motel por uma hora e meia, afim de diminuir um pouco a ansiedade, pois não suportariam as tentações da carne, estando tão próximos naquela situação tão sugestiva ao adultério… Ao chegarem na casa de veraneio do bonitão, encontraram muita coisa a ser ajeitada para preparar o ninho de amor daqueles fogosos amantes por uma semana… Adam preferiu não pedir à empregada que arrumasse, para não levantar suspeitas, adiantou a ela uma semana de férias, já que a funcionária nascera em Caçador e conhecia perfeitamente Iracema e o João… Passaram o restante do dia arrumando a casa para a estadia de verão antecipada…

Tudo muito bem planejado, mesmo às pressas: Jamais o professorzinho saberia da verdade, poderiam enganá-lo eternamente, já que até então, nunca havia demonstrado nenhuma desconfiança que oferecesse perigo aos amantes…

No terceiro dia da lua de mel, a índia dos olhos negros acorda cedo, vai até a varanda e fica a contemplar a tranquila e pacata praia do Pântano do Sul: os pescadores já em alto-mar, a água azul-esverdeado, a brisa que soprava em seu rosto, algumas gaivotas pousando nas pedras… Sentada na cadeira de balanço, ainda de camisola, olhava pensativa o horizonte. O barulho relaxante do mar interrompe-se com a voz de seu amado amante, seguida de um beijo apaixonado:
Bom-dia! O meu amorzinho acordou cedo hoje…

Não dormi direito à noite…

O que houve?

Eu estive pensando e tomei uma decisão…

Como assim?

Não podemos mais continuar nesta situação…

Hã?… Não acredito, minha morena quente está tendo um ataque de consciência…

Pra mim chega!… Vou dar um basta nisso tudo!…

Vou te perder?…

Não! Eu te amo… Quem vai me perder é o babaca do João!

O quê?…

Isso mesmo!… Ao voltar a Caçador, vou pedir a separação…

Não faça isso!

Por quê?… Você sempre demonstrou desejo de ficar comigo pra sempre… Mudou de ideia?

Não! Eu digo… Não faça isso já… Pode ser muito precipitado… Entende?…

Não posso adiar mais…
Adam não a queria como esposa, jamais passou por sua cabeça a ideia de firmar compromisso com sua funcionária… A queria como objeto para satisfazer seus desejos… E isso ela fazia muito bem… Mas, ser marido dela… Ou seja, viver com aquela mulher pelo resto da vida… Não!… Mais um casamento, não!… Mas ainda tinha uma esperança: restavam quatro dias para fazê-la mudar de ideia antes de voltar a rotina… Naquela noite, quem não dormiu foi ele… Pensou em tudo o que viveu no seu primeiro casamento, as traições, os prazeres fora de casa, as brigas, os constantes disfarces para manter a situação… Não! Ele não queria compromisso sério com ela… Era só sexo, nada mais… Tinha medo de ser explorado, tinha vergonha de aparecer em público com uma reles funcionária… Causava vertigens a ideia de ser visto de mãos dadas com ela… Gostaria de continuar cultivando a imagem de bom empresário, empreendedor, ousado e cheio de ideias para ganhar mais dinheiro com menos investimento e menor esforço possível, explorando funcionários, enriquecendo às custas dos trabalhadores e, o pior, sendo venerado e homenageado por isso… Sonhava em ampliar os negócios, abrir uma concessionária, ter muitos funcionários o ajudando a enriquecer cada vez mais rápido… Só queria desfrutar dos prazeres do capitalismo…

De fato, Adam tinha motivos de sobra para perder o sono naquela casa de praia…

 

www.marciogoes.com.br

 

Leave a Comment

Cantando na rádio

No dia 09 de junho de 2012, o professor e escritor Márcio Goes esteve participando do programa Talentos da nossa terra, na rádio Caçanjurê, Caçador, SC. Acompanhado dos alunos da EEEB Wanda Krieger Gomes: Bruna Bialeski, Douglas Alves, Fabíola Alves do Prado e Taiane Cristina de Moraes, cantaram músicas sertanejas e nativistas, juntamente com outros artistas locais durante uma hora e meia de programa comandado por Luiz Roberto Damaceno…

Leave a Comment

Lua e Sol

(Para Bruna Tainara Bialeski)

Ele é o astro-rei, brilha soberano todos os dias. A natureza o recebe em festa, com cacarejos, trinidos e tantos outros sons divinos que só a criação pode produzir…

Ela é o satélite natural deste asteroide pequeno e medíocre, habitado por seres humanos que se desumanizam a cada dia, chamado Terra…

Ele, de quinta grandeza, porém parece muito maior, por ser a estrela mais próxima do planetinha azul dos homo sapiens…

Ela, infinitamente menor que o astro-rei, mas aos olhos dos habitantes da Terra, equivalem-se na grandeza, na beleza e nas emoções…

Ambos, cientificamente desproporcionais, mas do ponto de vista dos terráqueos, têm as mesmas proporções. Não importa o volume, não importa a luz. O que importa é que, mesmo separados pelo planeta azul, um reflete os raios do outro…

Ela, pequenina, branca, suspensa na escuridão, a cada noite é vista de forma diferente. Regula as plantações, as colheitas, as marés… Versátil, andarilha, surpreendente, capaz de dar a volta ao mundo constantemente sem se cansar…

Ele, de brilho inconfundível e incomparável, projeta as luzes que dão origem às cores, produz oxigênio com ajuda dos verdes da vida: a fotossíntese… Estático, toda a galáxia gira ao seu redor. É o centro das atenções. Nove planetas prestam culto em ciranda pelo universo. Talvez oito, um foi rebaixado…

Ambos esperam ansiosamente os momentos de encontro eclipsal, raríssimos… Mas quando ocorrem, apagam-se para o resto do mundo: Ele só tem luz para ela… Ela só tem reflexos para ele…

Ele é festejado e homenageado pelo galo, ao amanhecer… Capaz de nascer e se pôr todos os dias, só para poder presenciar, novamente o espetáculo da natureza em sua homenagem… Os apaixonados contemplam seu deitar vagaroso no horizonte, parecendo despedir-se temporariamente, num bocejo infinito, a fim de que os sonhadores sonhem com seu retorno…

Ela é idolatrada pelos lobos e cães apaixonados, uivantes de amor, perdidos nos seus sentimentos que os tornam quase humanos… Imponente, de beleza rara. Parece sorrir mostrando as covinhas para cada manifestação de amor dos habitantes do mundo dos sonhos…

Ele no auge de sua exposição, não se permite ser contemplado… Seu brilho excessivo confunde os olhos, ofusca os pensamentos, embaralha as cores, queima, desconforta, enfebra, insola, danifica a fragilidade humana…

Ela, sem problemas… Expõe-se a todos, pelo tempo que quiser… É contemplada, amada… Não danifica, não desconforta… Sua ausência torna a noite muito mais escura, aterrorizante, opaca…

Quando chove, ambos desaparecem… Devem estar dormindo de conchinha…

Mas ele precisa dela para ser refletido na escuridão… Ela precisa dele para ter luz… Ele ama necessitar dela… Ela ama depender dele…

Ele brilha… Ela gira… Ele procura… Ela busca… Ele espera ela… Ela espera ele… Ele se apaga para que ela apareça… Ela desaparece para que ele dê origem a um novo dia…

Nesta ciranda, buscam a perfeição… Ele, sem ela, torna-se irrefletido, desfocado… Ela, sem ele, incompleta…

Um não vive sem o outro… Um reflete o outro…

Ambos se completam!

Ambos se amam!

MárcioRobertoGoes

www.marciogoes.com.br

www.portalcacador.com.br

www.cacador.net

Leave a Comment

Sonhos azuis – CAPÍTULOXX

E eis que aparece, no estacionamento da escola, um fusquinha azul, da cor do céu, da cor das preocupações do diretor, terminando seu trajeto com uma frenagem brusca, típica de quem está com o horário nos calcanhares:

  • Bom-dia, João! Você está atrasado…

  • Desculpe-me, senhor diretor… É que fui levar a Cema até a rodoviária.

  • Para onde ela vai?

  • Está indo para Florianópolis fazer um curso…

  • De ônibus de linha?

  • Sim!

  • Mas o ônibus para a capital passa de madrugada por Caçador…

  • É verdade, lá pelas duas horas… Vem de outra cidade e faz escala aqui… Mas será que não tem outra empresa que ofereça ônibus neste horário?

  • Não sei… Suba, que os alunos estão a sua espera.

Aquelas escadas pareciam não ter fim… João subia contando os passos… Passava um filme em sua mente… “Tem alguma coisa errada”… Pensava ele enquanto contava os degraus… “Ela me disse que ia de ônibus. Será que é mentira?… Se ela não vai de ônibus, por que então tive que a deixar na rodoviária?”… De tão distraído, deixou de responder muitos cumprimentos durante o trajeto até a sala de aula… Sua aluna o encontra na porta com um abraço filial, o mesmo abraço que tentou trocar com ele no ponto de ônibus meses atrás:

  • Bom-dia professor!

  • Bom-dia!

  • O que aconteceu?… O senhor parece diferente hoje…

  • Nada! Somente alguns problemas…

E levando seu professor até um canto reservado, ela que era uma de suas alunas mais queridas, declara:

  • Se precisar de alguém para conversar eu me disponho, afinal tantas vezes o senhor ouviu meus problemas e nunca me julgou por isso… Pelo contrário, seus conselhos foram e continuam sendo muito úteis na minha vida… Quero que saiba que o admiro muito e não gosto de ver meu mestre triste!…

  • Obrigado, querida! É bom saber que você me admira… Isso me dá mais forças para continuar minha missão de levar educação e cidadania a todos os alunos desta escola que já é tão discriminada por ser de periferia…

  • Se precisar, é só chamar…

De fato, João sempre teve um ótimo relacionamento com seus alunos de ensino médio: uma relação muito mais de amigo que de professor e aluno… Por vezes, parou a aula para ouvir seus alunos; É a menina apaixonada que não sabe o que fazer para chamar a atenção de seu amado… É o rapaz que brigou com a namorada e não tem coragem de pedir desculpas… Problemas familiares… Dúvidas sobre relacionamentos… Angústias, inquietações, conflitos amorosos e de gerações: Tudo isso era contado ao professor, com a confiança de um filho entregando seus problemas a seu pai. Isso aproximava o mestre do discípulo, tornando-os quase iguais, com pensamentos e metas semelhantes…

Mas, naquele dia, quem precisava de um ombro amigo era o pobre do João dos Sonhos Azuis… Porém, não teve coragem de pedir ajuda, guardou para si, no mais íntimo silêncio de seu coração machucado e arrasado pelas intempéries da vida, todas as dúvidas que assolavam a sua alma naquele momento… Tinha medo de contar para alguém e ser ridicularizado, ou que o segredo não permanecesse por muito tempo…

Ao meio dia, a primeira coisa que fez ao chegar em casa foi ligar para as empresas de transporte a fim de saber os horários de ônibus para a capital… A triste constatação o deixou ainda mais angustiado e seu coração ainda mais apertado: não havia nenhum ônibus que saísse para Floripa às oito da manhã…

Desesperado, ligou para seu melhor amigo, que veio imediatamente ao seu encontro:

  • O que houve, João?

  • Não sei, Teófilo… Alguma coisa está estranha nesta viagem… A Iracema não falou uma palavra de ontem para hoje que revelasse suas expectativas para o tal curso… Levei-a até a rodoviária as sete e meia, mas não tem nenhum ônibus de linha que saia nesse horário para a capital… Sem falar que esta viagem de estudos foi programada de um dia para o outro…

  • Será que ela não foi com um ônibus fretado?

  • Por que um ônibus fretado sairia da rodoviária?

  • Sei lá, talvez veio de outra cidade com outros cursistas…

  • Acho que ela tá me traindo…

  • Será?… Ela não seria capaz de fazer uma coisa dessas!

  • Não sei! Ela anda muito estranha ultimamente… Saindo fora de hora, não faz questão da minha companhia, vive fazendo hora extra não sei por quê… De repente, uma amiga liga e ela tem que sair às pressas…

  • Pode ser paranoia tua, meu amigo… Eu não acredito que…

  • Desculpe te incomodar. Mas eu precisava desabafar. Não sei mais o que fazer.

  • Magina!… Mas você tem alguma suspeita de quem é o amante dela?

  • Não sei… Ando percebendo um comportamento estranho do patrão dela.

  • Ele foi viajar também?…

  • Acho que não!

  • Porque não comprova isso?

  • Como?

  • Liga para a revendedora e pergunta por ele.

  • Acho que ele não foi, pois além de Cema, só tem ele para cuidar da loja…

Novamente, nosso sonhador aquietou suas angústias… Teve medo de ligar e ter uma má notícia. Preferia ficar na dúvida a ter certeza da traição…

www.marciogoes.com.br

Leave a Comment

Talentos da escola – Linda Vitrine

Por Bruna Tainara Bialeski

 

Os “pesos mortos da educação” são aqueles que fazem de tudo para se livrar da responsabilidade de “reconstruir” os pilares da educação, que já estão quase caindo, por conta da incapacidade daqueles que se dizem preocupados e responsáveis pela qualidade de ensino de nosso país, estado, município. O que me leva a crer cada vez mais que a hipocrisia entre estes, jamais cessará. Você conhece algum(s) deles?

Não há de ver que este ano o “povo do poder”, lembrou-se do ex- abacatão do Martello. Digo ‘ex’ porque neste momento está restando só o caroço do nosso querido abacate. É que certo “alguém” lembrou que existíamos, e mandou pintar o Wanda Krieger Gomes de cima a baixo. Ainda tenho dúvidas (quase certezas) de que só lembraram de nós porque é ano de eleição, e precisam do nosso voto, mas isso não vem ao caso.

Pois bem, já faz umas duas semanas que estão na função de “rebocar” nosso colégio. Ora, mas por que “rebocar”? É muito simples, ou será que alguém já viu em algum lugar, começar uma reforma pela pintura? Acho difícil, quase impossível, que as paredes de qualquer estrutura fiquem bonitinhas por muito tempo, tendo em vista que a tinta foi passada em cima das inúmeras infiltrações que ali existem e insistem em permanecer. Ah é, já estava esquecendo que a data de validade dessa pintura “linda” vai só até a próxima eleição.

Perdoem-me, acho que estou sendo muito grosseira. Mas deixar de me indignar com tal situação. Não preciso, ou melhor, não precisamos de uma “educação de vitrine”, não precisamos de uma escola com nova pintura. E que bosta de pintura, hem! Precisamos sim, de uma escola com uma estrutura boa o suficiente para instalar bem alunos e professores, uma escola onde não temos a necessidade de usar pés-de-pato para chegar até as salas de aula em dias chuvosos. Enfim, não precisamos de uma escola linda por fora, e precária por dentro, com paredes que “vertem” água, ou mesmo, rampas destruídas.

Hoje percebo que a ganância é o pior defeito que um ser humano pode ter. Ela corrompe, aniquila, destrói os sonhos e ideais mais lindos e puros. A mesma ganância que fez com que, como já disse, certo “alguém” mandasse pintar e reformar nossa querida escola.

“- Mas estão deixando a escola mais bonita!” Não duvido que nossa escola fique bonita, por alguns meses, quem sabe até uns dois ou três anos, até a próxima eleição, quando a escola estará em estado lastimável novamente, e “eles” repetirão o mesmo processo de “reformar” a escola, inaugurar a reforma, e ganhar o apoio político do povo em suas disputas pelo poder. Povo este, que nem imagina o peso morto e hipócrita que existe por de trás de cada sorriso falso e aperto de mão cuidadoso.

Povo este que talvez, não tenha noção do “corretivo” que foi passado em cima dos sonhos e talentos de cada aluno desta escola. Verdadeiras obras de arte, que foram pintadas ano passado por alguns alunos num projeto da professora de artes, com a contribuição dos demais professores.

Estas obras foram destruídas em prol da sede de poder de uns poucos, que por sua vez, querem mostrar serviço, destruindo talentos, inibindo ideais e disfarçando problemas sérios com feitos pequenos e inúteis, que os promoveram durante um curto espaço de tempo, mas que serve para continuar dilacerando nossos sonhos de uma educação de qualidade e vida melhor por um bom tempo.

 

Bruna Tainara Bialeski

Orientadora: Professora Marlise Aparecida Recalcate Petrykowski

2º ano 01 – Ensino médio regular – Matutino

EEEB Wanda Krieger Gomes – Caçador, SC

31/05/2012

Leave a Comment