Press "Enter" to skip to content

Mês: agosto 2009

Preto, ou negro?

Debatendo sobre o futuro da educação brasileira numa iniciativa inédita, contemplando profissionais, alunos e pais, chamada CONAE (conselho nacional de educação), na instância regional, nos deparamos, num dos itens, com uma palavra que gerou polêmica: “Preto”, referindo-se aos negros… Houve uma ampla discussão para decidir se esta palavra seria substituída por “negro”, ou afro-descendentes, para ser politicamente correto

Pois bem, se classificarmos por cor, não existem pessoas brancas ou pretas, ou eu sou daltônico, pois observando no espelho, vejo-me bege, com exceção dos olhos e cabelos, cujos fios castanhos estão sendo vagarosamente substituídos pelos brancos… E aqueles que a sociedade chama de preto, na grande maioria são marrons…

Se o foco for metáfora, então os brancos são cor de papinha e os negros, cor da terra…

Porém, se formos enveredar para o rumo do “politicamente correto”, os negros serão afro-descendentes… Simples… O difícil será classificar os brancos, já que existem várias origens da mesma cor: Luso-descendentes, ítalo-descendentes e assim por diante…

Existem muitos movimentos em favor do respeito às diferenças, sejam elas de cor, raça, nacionalidade, étnica, social, religiosa, política e uma infinidade de outras que só o bicho-homem foi capaz de criar. Inclusive, a constituição nos garante no artigo 5º: “Todos são iguais perante a lei”… Mas como diz a canção “Uns mais iguais que os outros”

No entanto, existe um certo exagero quanto aos termos, que por si só, não resolvem o problema da discriminação e do preconceito… Se chamarmos qualquer pessoa com deficiência de “portador de necessidades especiais”, ela não vai deixar de ser deficiente, não será curada da cegueira, da surdez, da paraplexia, ou de qualquer outra deficiência…

Portanto, se chamarmos um camarada de “afro-descendente” não o fará deixar de ser negro, da mesma forma, se me chamarem de “luso-descendente”, não mudarei de cor, continuarei sendo cor de mingau e descendente de portugueses até o fim dos meus dias.

O grande contrassenso aqui é o comportamento social, o desprezo e a discriminação aos “diferentes”… Aliás, diferentes na visão de quem?… Caro leitor, cara leitora, se você olhar com atenção, ao vivo, verá em mim, muitas diferenças em relação a você e eu perceberei o mesmo quanto a sua pessoa. Mas em algo, temos semelhança: somos seres humanos e como tal, merecemos respeito mútuo na visão ética, social e na constituição…

Então, não é uma palavra nem o conjunto delas compondo termos bonitos que vaio acabar com a bestialidade do preconceito humano, mas sim as atitudes e elas devem brotar do coração, do contrário, só estaremos mascarando um problema milenar entre os seres humanos que ainda julgam-se uns melhores que os outros, quando na verdade, como dizia minha mãe: “Virou no avesso é tudo a mesma coisa”…

Mas, e o texto do CONAE?

Virou e mexeu, continuou preto mesmo…

 

 

 

Márcio Roberto Goes

www.cacador.net

www.portalcacador.com.br

Jornal Informe – O diário Regional

Leave a Comment

Sobre o leite derramado

 Já comentei aqui o fato de se procurar toda e qualquer quinquilharia, que na verdade torna-se útil, nas lojas de 1,99, ou de 1,00… Na verdade, por um real não se encontra quase nada, nestes shoppings do povão…
 Pois eu sou um frequentador assíduo deste tipo de comércio, lá encontro tudo o que preciso, e quando não preciso, invento uma utilidade para aquele artigo que normalmente torna-se muito atraente…
 Numa tarde ensolarada de inverno, coloquei aquela roupinha domingueira e saí a pé pela cidade, assoviando uma canção qualquer de Roberto Carlos, cumprimentando amigos, parando nas vitrines para ver as promoções… Coisa de pobre mesmo!… Até que parei numa loja de um real. Adentrei ao recinto, como quem não quer nada, e na verdade não queria mesmo, cumprimentando o povo, peguei uma cestinha e comecei minha busca pelo desconhecido… Tinha certeza que precisava, mas não sabia do quê… Era a magia do comércio, do consumismo, que me dilacerava a alma naquele momento, fazendo-me um ser humano que não se contentava em voltar para casa sem levar alguma tralha de um real para incrementar meu lar… É porta-isso, porta-aquilo, tampa para isso, tábua para aquilo, pendurico para a cozinha, para o banheiro, para o quarto, bacia de todos os tamanhos, penicos também, gêneros alimentícios com qualidade ao mesmo nível do preço, bichinhos de pelúcia… Pelúcia?… Brinquedos de todo tipo, ferramentas quase descartáveis, copos de todos os times, xícaras com todas as frases possíveis e imagináveis… Uma infinidade de trecos que deixam qualquer um louco, principalmente quando se trata de um colecionador de bugigangas como eu…
 Na seção de plásticos, encontrei vários artigos úteis e bonitos para tornar a vida de um trintão solteiro mais confortável, porém, algo me chamou especial atenção: um porta-leite, onde se coloca a caixinha que fica presa e o manuseio é feito por intermédio de uma alça… Pensei comigo: “Por que comprá-lo, por que não comprá-lo, por que comprá-lo?”… Não comprei-o-o… No momento, minha consciência dizia que aquilo seria supérfluo, ou seja, teoricamente, posso viver muito bem sem ter um porta-leite em casa… Ao chegar em minha residência oficial das quatro estações, descarreguei as mercadorias e tratei de cumprir com minhas obrigações do restante do dia. Nem lembrava mais do tal artigo de plástico supérfluo.
 No dia seguinte, ao ruído insistente e irritante do despertador, acordei, tirei a ramela do “zóio”, lavei este rostinho que Deus me deu e comecei a preparar o café… Ao pegar o leite na geladeira, a caixinha escapou-me das mãos, inundando a cozinha com aquele líquido branco e que, em pouco tempo tornar-se-ia extremamente mal-cheiroso… Fazer o quê?… Era preciso limpar aquela bagunça e, como vinte por cento do meu corpo havia sido atingido, o banho seria algo inevitável para não ficar cheirando queijo azedo o dia todo…
 Todo este inconveniente e atraso poderiam ser evitados se eu tivesse um simples, barato e prático porta-leite… Tudo seria diferente se eu tivesse dado ouvidos à minha intuição consumista… Existe uma força subumana neste locais de vendas de tralhas, pois tudo o que precisamos, encontramos lá… E o que não precisamos, passamos a necessitar a partir do momento em que nossos olhos são direcionados a um artigo que se encontra a mostra…

Márcio Roberto Goes
www.cacador.net
www.portalcacador.com.br
Jornal Informe – O diário Regional

Leave a Comment

O abraço proibido

Imagem: www.google.com.br
Imagem: www.google.com.br

 Quem não gosta de um abraço?… Mas não aquele abraço de quem não quer abraçar, meio de lado, de compadre. Estou falando de abraço mesmo, de corpo inteiro… Abraço de urso, compartilhado, fraterno, confortante até… Quem não gosta de dar e receber abraços?… Eu gosto, aliás é muito difícil viver sem…

Tem gente que não tem coragem de abraçar, não aprendeu em casa, nunca viu um abraço de verdade, por isso não o pratica. Lamentável!… O abraço pode curar muitas doenças da alma. O abraço amigo nas horas desafortunadas da vida, o abraço de pai e de mãe pra filho, de irmãos, da reconciliação, do perdão, da celebração, do amor… O abraço apaixonado, ousado, porém não menos fraterno…

Desde que me tornei professor, pratico a terapia do abraço com meus alunos e, tenho certeza que os conheço melhor por isso, afinal, um abraço revela muito da personalidade e eles sentem-se mais próximos e confiantes em relação a minha pessoa, pelo menos a maioria. Nos amamos como seres humanos e não apenas como educador e educando… Porém, como tem aqueles alunos que já vêm ao meu encontro de braços abertos, têm aqueles que rejeitam o ato de abraçar durante todo o ano letivo. Infelizmente, nem todos entendem as intenções de um “abraçador” despretensioso.

Por muitas vezes, tentaram proibir o meu abraço na escola, fui duramente criticado e aconselhado a cuidar quem e como abraçar, sob o pretexto de não ser compreendido por algumas alunas que poderiam distorcer as intenções… Felizmente, nunca tive problemas em relação a isto com alunas adolescentes, o meu problema maior é com adultos “bem resolvidos” que enxergam chifres em cabeça de cavalo, julgam o ato sem ter conhecimento do contexto… Existem pessoas que preferem condenar os outros a renderem-se ao abraço: um ato simples que revela uma pessoa humilde e sincera diante dos demais…

Mas agora, finalmente fui derrotado. Meu abraço está proibido, aliás o meu só não, o de todos… E não foi direção de escola, chefia imediata, colegas, ou qualquer outra pessoa mal-amada que fez tamanha atrocidade com os seres humanos. Foi um ser minúsculo, invisível, terrível e desumano que tem nome e sobrenome: H1N1…

Por causa da presença deste intruso microscópico, estamos proibidos de manifestar carinho. Cumprimento, só de longe e quando pegar na mão, lavá-la imediatamente com água e sabão e desinfetá-la com álcool gel. Demonstrações de carinho viraram falta de higiene e risco para a saúde… Até o abraço da paz está proibido nas Igrejas… Nem a Paz de Jesus escapou da Influenza A.

Algumas pessoas dizem, e isto tem fundamento, que trata-se de mais uma doença fabricada pelo capitalismo para obter algum tipo de lucro brincando com a vida das pessoas, como aconteceu com a AIDS e com o vírus ebola. Na verdade, se foi ou não fabricada, neste momento não influencia em nada as consequências. A verdade é que existem pessoas perdendo a vida, aliás o número parece ser muito maior que o divulgado, e o remédio para este mal está patenteado por algumas empresas e só elas podem comercializá-lo… Coisa de capitalismo selvagem… Por hora, devemos guardar as demonstrações de carinho e amor para um momento mais oportuno e saudável, quando enfim receberemos a carta de alforria para o abraço.

 

Márcio Roberto Goes

www.cacador.net

www.portalcacador.com.br

Jornal Informe – O diário Regional

Leave a Comment

Gripe A: Aulas e eventos estão suspensos em Caçador

Fonte:  www.cacador.net

 As aulas de todo o município de Caçador, bem como atividades culturais e religiosas e eventos que concentrem um grande número de pessoas em locais fechados, tais como bailes, boates, teatro e cultos estão suspensas pelo prazo de 10 dias devido ao perigo apresentado pela Gripe A. As informações foram apresentadas por autoridades em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, 7. A medida passa a valer a partir de segunda, 10, e segue até o dia 17. O prefeito Saulo Sperotto assinou decreto com as determinações. “Estamos tomando essa medida preventiva, visando evitar que a Gripe A se espalhe ainda mais e chegue a causa problemas maiores no município”, afirmou o prefeito, salientando que o clima de Caçador é propício para que a doença. Entretanto, o prefeito confirmou que todos os eventos deste final de semana estão mantidos, já que a medida vale a partir de segunda-feira. Centro de Triagem Para que se tenha um local de referência para os caçadorenses, começa a funcionar, na próxima segunda-feira, 10, no Ginásio do Sei, o Centro de Triagem da Gripe A. De acordo com o secretário de Saúde, Eduardo Lopes, serão cerca de 20 pessoas treinadas para atender a comunidade. “Queremos ressaltar que não será apenas neste local que haverá o atendimento para a comunidade, mas que o Centro de Triagem é mais uma opção para aqueles que tenham os sintomas de gripe”, acrescenta. Apenas um caso confirmado Mais uma vez, a Secretaria de Saúde informou que apenas um caso está confirmado em Caçador. Segundo o secretário Eduardo Lopes, esta pessoa está em casa e passa bem, após ter sido medicada. No entanto, existem 50 pessoas que estão com suspeita da nova gripe, sendo que 16 caixas de medicamentos foram distribuídas e 6 gestantes, grupo de grande risco, estão sendo monitoradas. Segundo a enfermeira Paula Xavier, da Vigilância Epidemiológica, existem três pessoas que foram a óbito e que estavam tomando o medicamento Tamiflu. Mesmo assim, ela informa que não foi comprovado que elas estavam com a Gripe A. “Estamos aguardando os resultados dos exames para termos uma definição”, assinala. Quanto a isso, o prefeito Saulo Sperotto destacou que existem muitas informações desencontradas. “Não queremos que a população entre em pânico. Se estamos tomando estas medidas, são para prevenir a doença, já que não temos, nem mesmo em Santa Catarina, surtos da Gripe A”, enfatizou. Alunos devem ser mantidos em casa A medida tomada pela Prefeitura, de suspender as aulas, necessita agora, do auxílio e compreensão dos pais. Segundo o gerente de Educação do Estado, Odilon Morona, as crianças devem ficar em casa e não sair e manter os aglomeramentos em outros locais. “De nada adianta as aulas serem suspensas se esses alunos não tomarem os cuidados necessários”, completa. Além disso, a secretária Municipal de Saúde, Scheilla Marins, solicita que as mães das crianças da educação infantil sejam compreensivas com a medida de suspensão das aulas. “Trata-se de prevenção para estas crianças também”, afirma, salientando que neste momento, é necessária também a compreensão dos patrões, para com aquelas mulheres que têm filhos nas creches. Material informativo Um material informativo foi produzido pela Secretaria de Saúde, visando tirar as dúvidas e dar as recomendações necessárias para os moradores. “As pessoas devem priorizar ambientes ventilados, manter a higiene pessoal, se alimentar bem e, acima de tudo, manter o corpo hidratado, tomando uma boa quantidade de água por dia”, afirma a enfermeira Paula. Com relação às empresas, Paula salienta ainda que será feito um trabalho informativo, para que os funcionários com sintomas de gripe possam ser liberados pelos patrões, sem perdas adicionais. Sintomas Outra medida que deve ser adotada, é que as pessoas procurem o tratamento imediatamente quando tiverem os sintomas da Gripe A. “Febre repentina, dor de cabeça, dor no corpo, coriza, tosse e catarro são sintomas que devem ser levados a sério e uma unidade de saúde deve ser procurada para atendimento”, enfatizou Paula. Transmissão A transmissão do vírus da Gripe A (H1N1) é feita pelo ar ou pelo toque com a pessoa doente. O uso de álcool gel 70% auxilia para que este vírus seja eliminado. Segundo Paula Xavier, as pessoas começam a contaminar um dia antes dos sintomas se manifestarem. “E isso permanece por até 7 dias em adultos e 14 dias nas crianças”, destacou.

Leave a Comment